Produção de caminhões recua 29,9% em abril

Mercedes-Benz/Divulgação

Queda na produção é justificada pela falta de semicondutores e outros componentes; até o fim de abril, 43,9 mil caminhões foram produzidos em todo o país

Google News
Ainda diretamente impactada pela assombrosa falta de componentes, a produção brasileira de caminhões encerrou o mês de abril registrando queda em todos os comparativos.

Segundo os números oficiais da Associação Nacional dos Fabricantes de Autoveículos (ANFAVEA), 9,5 mil caminhões foram produzidos em todo o Brasil no mês de abril, queda de 29,9% em relação ao mês anterior, março, quando 13,5 mil exemplares foram montados. Já no comparativo com abril de 2021, quando 13,1 mil caminhões foram produzidos, o recuo chegou a 27,6%.

No acumulado do primeiro quadrimestre de 2022, ou seja, de janeiro a abril, a indústria brasileira foi responsável pela 43,9 mil caminhões, queda de 5% em relação ao acumulado do mesmo período de 2021, quando 46,2 mil exemplares foram montados.


"A explicação desse número ter sido abaixo do que tem ocorrido nos últimos meses é que coincidentemente tivemos duas empresas que tiveram seu tempo de parada, por conta da falta de semicondutores e outras matérias primas, coincidindo as datas, algo que ainda não tinha ocorrido nos meses anteriores", explica Gustavo Bonini, Vice-Presidente da ANFAVEA para veículos pesados.

Para o restante do ano, a entidade ainda mantém boas perspectivas. "Mas temos a expectativa que para o segundo semestre de 2022, essa questão dos semicondutores esteja mais equalizada e seguiremos com a expectativa de produção e venda informada pela ANFAVEA em janeiro desse ano", conclui.


Postar um comentário

0 Comentários