Fretebras Superior

Vendas de caminhões seminovos recuam 7,6% em novembro

Carboni IVECO

Apesar do recuo justificado pelo reequilíbrio do mercado em relação aos modelos novos, ao longo de todo o ano, mais de 369 mil caminhões seminovos já foram comercializados no Brasil

Apresentando certa volatilidade e sinais de reequilíbrio em relação as vendas de veículos novos, o mercado brasileiro de caminhões seminovos encerrou o mês de novembro registrando um novo recuo.

De acordo com o balanço oficial da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (FENABRAVE), 29.478 caminhões seminovos foram vendidos em todo o Brasil no mês de novembro, número que apresentou um leve recuo de 7,64% em relação a outubro, quando foram comercializadas 31.916 unidades. Em relação a novembro de 2020, quando o segmento comercializou 35.718 caminhões usados, o mercado registrou uma queda de 17,47%.

Já no acumulado do ano, 369.398 caminhões foram comercializados de janeiro a novembro de 2021, crescimento de 24,78% em relação ao mesmo período de 2020, quando foram comercializados 296.029 modelos.


“O resultado do acumulado do ano mostra que as vendas de usados ainda estão aquecidas. É natural que, aos poucos, o mercado vá se reequilibrando e apresente certa volatilidade nas transações, inclusive em função da retomada gradativa do abastecimento de veículos novos. Até porque ainda persiste a baixa oferta de alguns modelos mais demandados”, explica Alarico Assumpção Júnior, Presidente da FENABRAVE.

Os dados divulgados pela Fenabrave também apontam as seis marcas que se destacaram no mercado de usados ate o final de novembro de 2021. São elas, a Mercedes-Benz que garantiu uma participação de 38,16% nos negócios seguida pela sua principal concorrente, a Volkswagen que alcançou uma participação de 21,40%, a Ford com 16,45%, a Scania com 8,66% de participação, seguida da sua concorrente sueca Volvo com 8,21% e a IVECO com 4,16% de participação nos negócios de usados.

Confira na íntegra os números da Fenabrave: CLIQUE AQUI


Postar um comentário

0 Comentários