Fretebras Superior

CONTRAN volta a permitir uso de cavalos mecânicos 6x2 em bitrens

Coopercred Implementos/Divulgação

Fim da exigência de cavalos mecânicos 6x4 é confirmada pela Resolução nº 882; documento atualiza por completo os limites de pesos e dimensões

Google News
Após 10 anos consecutivos de discussões, estudos, polêmicas e inúmeras tentativas de mudanças na legislação do transporte rodoviário de cargas brasileiro, o Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) voltará a permitir o uso de cavalos mecânicos 6x2 em bitrens de 7 eixos. A decisão é confirmada pela Resolução nº 882, publicada no Diário Oficial da União da última quinta-feira, 24 de dezembro.

De acordo com o documento, a partir do dia 3 de janeiro de 2022, data em que Resolução entrará em vigor, as combinações de veículos de carga (CVC's) com até 58,5 toneladas de Peso Bruto Total Combinado (PBTC) poderão novamente ser tracionadas por cavalos mecânicos com tração simples (4x2 ou 6x2). A possibilidade é confirmada pelo segundo parágrafo da alínea II no Art. 19 da Resolução nº 882.

Por se tratarem de uma configuração com 19,80 metros de comprimento e PBTC máximo de 57 toneladas, os bitrens de 7 eixos se enquadram perfeitamente na nova redação dada pelo CONTRAN. Com isso, o uso de cavalos mecânicos 6x4 fabricados a partir de 2011, até então obrigatório, passará a ser opcional. 

A mudança na legislação vai de encontro com uma das principais reinvindicações do transporte rodoviário de cargas brasileiro, especialmente por parte de profissionais autônomos e pequenos transportadores, uma vez que a exigência ampliava de maneira considerável os custos de aquisição de cavalos mecânicos.  

Apesar de atender aos transportadores, a volta do uso de cavalos mecânicos 6x2 em bitrens com até 57 toneladas de PBTC não é vista com bons olhos por especialistas e envolvidos no segmento de infraestrutura rodoviária. A alegação é de que a configuração concentra grande parte do peso em apenas um eixo tração, especialmente em arrancadas ou trocas de marchas, acarretando assim deformações no pavimento. 

Confira na íntegra a Resolução nº 882: CLIQUE AQUI


Relembre a polêmica em torno da tração obrigatória
O fim do uso de cavalos mecânicos 6x2 em bitrens de 57 toneladas foi anunciado no dia 24 de julho de 2009, quando o CONTRAN publicou a Resolução nº 325. A publicação trazia a seguinte redação: 

"A partir de 1º de janeiro de 2011, as Combinações de Veículos de Carga-CVC de 57 t serão dotadas obrigatoriamente de tração dupla do tipo 6X4 (seis por quatro)."

Com isso, entendeu-se que todos os bitrens fabricados a partir de 2011 deveriam ser tracionados obrigatoriamente por cavalos mecânicos 6x4. Já os exemplares produzidos anteriormente poderiam seguir sendo tracionados por caminhões 6x2.

Diante da falta de clareza da nova regulamentação e das inúmeras dúvidas que surgiram, o CONTRAN publicou no dia 24 de dezembro de 2010 a Deliberação nº 105. O documento trouxe consigo a seguinte redação: 

"Fica assegurado o direito de circulação às Combinações de Veículos de Carga - CVC com mais de duas unidades, sete eixos e peso bruto total combinado - PBTC de no máximo 57 toneladas, equipadas com unidade tratora de tração simples, dotada de 3º eixo (6X2), registrada e licenciada até 31 de dezembro de 2010, desde que respeitados os limites regulamentares'."

Com a nova publicação, ficou estabelecido e claro que todos os cavalos mecânicos 6x2 produzidos e licenciados até 31 de dezembro de 2010 poderiam continuar tracionando bitrens com até 57 toneladas, independentemente do ano de fabricação dos semirreboques. Já os cavalos mecânicos produzidos a partir de 1º de janeiro de 2011 até então, estão proibidos de serem combinados com os bitrens de 19,80 m e 57 toneladas de PBTC, exigência que chegará ao fim na próxima semana, quando a  Resolução nº 882 entrará em vigor.


Qual é a sua opinião?
Agora nos diga: Na sua opinião, a volta do uso de cavalos mecânicos 6x2 em bitrens de 57 toneladas é uma boa solução para o transporte rodoviário de cargas brasileiro? Você concorda com a flexibilização da regra? Deixe o seu comentário logo abaixo.



Postar um comentário

11 Comentários

  1. Não sei porque estão preocupado sobre tração de caminhoes .porque além de pagarmos os imposto que era para cuidar de malha rodoviária que é muito ruim.
    Pagamos muito pedágio. Sao pedagiadas tanbem.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom a nova lei do CONTRAN
    Mais poderia voutar o bitren 60 Ton de pbt

    ResponderExcluir
  3. Um retrocesso. E os 6X2 com cmt de 56.000 fabricados nessa era, vao fazer o que com eles? Quem oagara esse dano causado aos usuarios?

    ResponderExcluir
  4. Tinha que acabar com medida de para-choque a para-choque, como em muitos países,medir somente as carretas para poder fábricar caminhões bicudo com gabine mais espaçosas porque os cara chata são igual Combe bateu morreu,os bicudos tem quase dóis metros de chassi e o motor.pra hle proteja.

    ResponderExcluir
  5. Essa nova regulamentação é mais do que justa, pois se um caminhão bem mais antigo independente de marca, pode tracionar um 7 eixos, não seria justo com os demais proprietários que possuem um cavalo mecânico acima de 2011 perder esse direito, pois a tração 6x2 será a mesma, independente do ano do veículo, sendo assim é justo que todos possam tracionar o reboque 7 eixos.

    ResponderExcluir
  6. Isso é Brasil, nada concretiza, nada funciona, nada organiza, leis que outras leis derrubam, por isso os políticos e a nação andam lado a lado

    ResponderExcluir
  7. Estes estudos são muito importantes para a conservação das vias, e fabricação de implementos e caminhões, mas infelizmente na prática não funciona... temos um emaranhado muito grande de leis que acabam por atrapalhar em tudo. Recentemente vi num vídeo da net um caminhoneiro sendo multado pelo uso simultaneo do farol de neblina junto ao farol normal... penso que o motora estava incorreto, mas e a cobrança dos eixos suspensos no pedágio? porque não usam o mesmo rigor em fiscalizar? Mas de qualquer forma, lei é para ser cumprida.

    ResponderExcluir
  8. Tomara que fique pra sempre essa lei

    ResponderExcluir
  9. Esse tipo de mudança na legislação precisaria ser publicado com uma data mais longa para entrada em vigor. Quem investiu p cumprir a lei ficou prejudicado agora

    ResponderExcluir
  10. Ótimo acabou agora ficou melhor 6x2.sobre a pavimentação, pare com a corrupção nas obras faz o asfalto melhor, IPVA e pedágio nas altura vem fala que estraga o asfalto vai chupa ovo.

    ResponderExcluir
  11. SERA A VOLTA DOS EIXOS COM CUBO REDUTOR?

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, palavras de baixo calão, desrespeito ou ofensas não serão toleradas e autorizadas nos comentários.