Greve de caminhoneiros não se concretiza: MInfra e PRF não registram bloqueios de rodovias

ABCR/Divulgação

PRF confirmou a ausência de bloqueios e pontos de manifestação nas rodovias federais de todo o país; Entretanto, atos de vandalismo foram registrados no Porto de Santos

A suposta nova paralisação nacional de caminhoneiros, prevista para começar nesta segunda-feira, 1º de novembro, e organizada por entidades como a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística (CNTTL), vinculada à CUT; Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC) e Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava), não se concretizou.

Por meio das redes sociais, o Ministério da Infraestrutura confirmou na manhã desta segunda-feira a ausência de bloqueios, manifestações e/ou paralisações da categoria nas rodovias brasileiras "O MInfra, com base em informações do Ministério da Justiça e Segurança Pública por meio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), informa que às 09h desta segunda (1º/11) não há registro de nenhuma ocorrência de bloqueio parcial ou total em rodovias federais ou pontos logísticos estratégicos.", diz a publicação da pasta.


Vandalismo no Porto de Santos
Ainda segundo o Ministério da Infraestrutura, na madrugada desta segunda-feira, 1º de novembro, a Polícia Militar do Estado de São Paulo atuou na dispersão de grupos de manifestantes que se concentravam na entrada do Porto de Santos, o maior da América Latina. Entretanto, logo em seguida, foram registrados atos de vandalismo, como por exemplo, apedrejamento de caminhões que circulavam pelas rodovias que dão acesso ao terminal portuário.

Para garantir a livre circulação de caminhões em direção ao Porto de Santos, equipes da PRF também atuaram durante a madrugada na escolta de cerca de 25 conjuntos de veículo de carga. "Desde o início da manhã, não há mais registros de vandalismo e o trânsito flui sem problemas. O porto opera normalmente.", destaca o MInfra.



Justiça proíbe bloqueios de rodovias
Atendendo a pedidos da Advocacia Geral da União (AGU) e de concessionárias que administram as principais ligações rodoviárias do país, esferas estaduais e federais da Justiça Brasileira concederam neste final de semana, uma série de liminares que proíbem o bloqueio de rodovias por manifestantes ao longo desta semana. As decisões judiciais preveem multas que variam de R$ 5 mil até R$ 1 milhão de reais para os envolvidos.



Postar um comentário

0 Comentários