Bolsonaro diz que Petrobras fará novo aumento nos preços dos combustíveis

Getty Images

Segundo Bolsonaro, informação sobre reajuste que deverá ser colocado em prática nos próximos 20 dias chegou até ele de maneira extraoficial

O Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, afirmou na manhã desta segunda-feira, 1º de novembro, que Petrobras já está preparando um novo aumento nos preços dos combustíveis. A previsão é de que o novo reajuste seja colocado em prática no decorrer nos próximos 20 dias. Ainda segundo o Presidente, a informação chegou até ele de maneira extraoficial. Além disso, o assunto será tratado com prioridade a partir desta terça-feira, 2 novembro. 

“Esta semana vai ser um jogo pesado com a Petrobras, porque eu indico o presidente, quer dizer, tem que passar pelo conselho, não sou eu que indico, e tudo que de ruim acontece lá cai no meu colo. O que é bom não cai nada em meu colo”, disse.

Na avaliação de Bolsonaro, um novo reajuste não pode acontecer neste momento. “A gente não aguenta porque o preço dos combustíveis está atrelado à inflação e falou em inflação, falou em perda do poder aquisitivo. A população não está com salário preservado ao longo dos últimos anos. Os mais pobres sofrem”, destacou.


Para o Presidente, a solução ideal é a privatização da empresa, tirando-a assim “das garras do Estado”. “Isso é o ideal, no meu entender, que deve acontecer. Agora, isso aí não é colocar na prateleira e vender amanhã. Esse processo vai durar mais de ano”, admitiu.

Bolsonaro disse ainda que está disposto a rediscutir a política de preços da companhia, mas sem interferir nos “rendimentos dos acionistas”. Uma das alternativas que sendo discutidas é o uso dos dividendos recebidos pelo lucros da Petrobras no abatimento do preço do diesel.

Por fim, o Presidente da República atribuiu a alta nos preços dos combustíveis à corrupção de governos passados e às leis antigas, defendendo ainda o congelamento dos impostos e apontando como “vilão” do custo final na bomba o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). 

Com informações: Agência Brasil

Postar um comentário

1 Comentários

  1. O Brasil não é do povo...pertence ás empresas estrangeiras. Quando o mundo está em crise os preços de todas as coisas aqui no brasil sobem para manter os lucros lá de fora. Bolsonaro assim como todos os outros políticos são fantoches.

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, desrespeito ou ofensas não serão toleradas nos comentários.