IVECO A gente nao para

Construção de áreas de escape no Anel Rodoviário de BH é aprovada

DER-MG/Divulgação

Projeto que prevê a construção de três áreas de escape foi aprovado pela Via 040 e agora aguarda o aval do DNIT e da ANTT

A construção de áreas de escape no Anel Rodoviário de Belo Horizonte (MG), principal ligação entre as rodovias BR-040 e BR-381, está próxima de se tornar realidade. Na última quinta-feira, 19 de agosto, uma audiência pública, realizada pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário, na Câmara Municipal da capital mineira, revelou o avanço das negociações entre os governos federal e municipal.

Atualmente, a construção de três áreas de escape no trecho rodoviário que corta a capital mineira, é apontada como a principal solução para mitigar de maneira significativa os frequentes acidentes envolvendo veículos pesados no sentido vitória da via. O projeto prevê que as estruturas sejam construídas nos três principais pontos críticos do trecho, sendo, no acesso ao bairro Buritis e na altura dos bairros Betânia e Olhos D’água.

De acordo com o vereador Irlan Melo (PSD), parlamentar que está a frente do tema, destacou que a concessionária Via 040 aprovou o projeto enviado pela BHTrans, que agora aguarda o aval do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).


“A Via 040 já aprovou o projeto da construção da área de escape e está agora nas mãos do DNIT o termo de cooperação entre a prefeitura e o governo Federal para a implementação das áreas de escape. Tivemos também a confirmação que a Sudecap irá auxiliar na identificação da flora do local e que o próximo passo é colocar a licitação para funcionar”, explicou o parlamentar.

Segundo Marcelo Alcides dos Santos, responsável pela coordenação de Exploração da Infraestrutura Rodoviária em Minas Gerais (COINFMG), a ANTT está analisando o projeto da BHTrans e poderá publicar no Diário Oficial a autorização do início das obras. Após a publicação, as obras terão um prazo de seis meses a um ano para acontecerem.

Entre 2008 e 2018, 340 mortes, 25 mil acidentes e 11 mil pessoas feridas foram registradas no Anel Rodoviário de Belo Horizonte.


Postar um comentário

0 Comentários