IVECO A gente nao para

Mercado de implementos registra crescimento de 57% no primeiro quadrimestre

Biasi Tanques/Divulgação

Para ANFIR retomada é resultado dos negócios do agrobusiness, que seguem em alta, com as vendas feitas anteriormente cujas entregas acontecem ao longo do primeiro semestre de 2021

Impulsionado principalmente pelo agrobusiness, o mercado brasileiro de implementos rodoviários encerrou o primeiro quadrimestre de 2021 registrando um crescimento significativo em todos os comparativos.

De acordo com o balanço oficial da Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (ANFIR) 48.643 implementos foram entregues em todo o país nos quatro primeiros meses do ano, crescimento de 57,53% em relação ao mesmo período de 2020, quando 30.878 unidades foram comercializadas.

“Esse resultado é a soma do desempenho aquecido do setor de agrobusiness, o maior cliente de nossa indústria, com as vendas realizadas anteriormente cujas entregas aos clientes estão sendo feitas  ao longo dos meses atuais”, explica José Carlos Spricigo, presidente da ANFIR.


Considerando cada segmento separadamente, no primeiro quadrimestre do ano foram comercializados 28.772 reboques e semirreboques, crescimento de 76% em relação ao mesmo período de 2020, quando foram comercializadas 16.348 unidades.

Já o segmento de carrocerias sobre chassi encerrou o primeiro quadrimestre do ano com um total de 19.871 unidades comercializadas, alta de 36,76% em relação a 2020, quando foram comercializadas 14.530 unidades.

Falta de componentes
Assim como na indústria de caminhões, a o segmento de implementos também já enfrenta desafios com a falta de componentes, especialmente em relação a escassez de pneus aliado ao forte aumento de custos de matérias-primas e insumos. Segundo a ANFIR, o setor já busca alternativas para regularizar as entregas. 

“Implemento rodoviário é fundamental no sistema de distribuição de matérias-primas, remédios, produtos hospitalares, produtos industrializados e produção agrícola”, diz Spricigo.

Confira na íntegra o balanço da ANFIR: CLIQUE AQUI


Postar um comentário

0 Comentários