Publicidade

Cipatex lança revestimentos antivirais para caminhões e ônibus

Cipatex/Divulgação

Os laminados com micropartículas de prata e sílica têm capacidade de inativar 99,72% do SARS CoV-2 em três minutos

A Cipatex®, fabricante brasileira de laminados sintéticos, lança revestimentos de PVC com ação contra fungos, bactérias e vírus, incluindo o Sars-CoV-2, responsável pela Covid-19. Os produtos da Linha AV – Proteção Antiviral Cipatex® atendem diversos mercados, como automotivo, moveleiro, puericultura e hospitalar. Os materiais possuem eficácia virucida testada com base na norma internacional ISO 21702 (Measurement of antiviral activity on plastics and other non-porous surfaces).

Os produtos desenvolvidos com tecnologia nacional recebem a proteção antiviral durante o processo de produção, com o aditivo sendo incorporado na massa do PVC. Os revestimentos da linha AV já saem da fábrica com micropartículas de prata e sílica que têm capacidade de inativar 99,72% do SARS CoV-2 em três minutos. “Na prática, se alguma pessoa infectada expelir gotículas de saliva ou tocar com as mãos contaminadas no revestimento, a tecnologia antiviral age para destruir a camada de gordura do vírus e inativá-lo, e a próxima pessoa que encostar no laminado estará sob proteção de até 99% de ser contaminada”, explica Andreza Scudeler, coordenadora de laboratório da Cipatex®.

Os produtos foram submetidos a testes conduzidos pela empresa especializada Quasar Bio, referência em ensaios com SARS-CoV-2, e que possui seus laudos protocolados pelo Prof. Dr. Lucio Holanda Gondim de Freitas Jr, especialista no assunto. Os ensaios são feitos em laboratório NB-3 (Nível de Biossegurança 3) e obedecendo às Boas Práticas de Laboratório (BPL).

Para verificar a eficiência e o comportamento virucida, os revestimentos também passaram por testes de envelhecimento, o que garante proteção a médio e longo prazo. A atuação do aditivo no laminado é resistente à limpeza com álcool ou outras formas de higienização, sem prejudicar sua ação antiviral.


“Como o novo coronavírus pode sobreviver até três dias em algumas superfícies, como o plástico, por exemplo, a nova linha de revestimentos surge como grande aliada para minimizar a propagação do vírus, principalmente pela sua inativação rápida e ampla gama de mercados atendidos”, comenta Rodolfo Zaratin, gerente de desenvolvimento da Cipatex®.

Para desenvolver a nova linha de revestimentos, a Cipatex® contou com a parceria da Braskem na busca por soluções e investimento em tecnologia, resultando em materiais que atendem a nova realidade e necessidade global.

Os laminados antivirais com características que conferem durabilidade e resistência ao desgaste podem ser utilizados em revestimentos de assentos e pisos de ônibus, caminhões e vans. “A utilização dos materiais no transporte coletivo, que tem um grande fluxo de pessoas, é uma proteção de extrema importância para auxiliar no enfrentamento da pandemia, em conjunto com a higienização das mãos e uso de máscaras”, reforça Zaratin. 

Ainda no segmento automotivo, e com eficácia virucida, estão disponíveis lonas para cobertura de cargas de caminhão da marca Toda Carga e laminados Cicap para confecção de capas/roupas impermeáveis para motociclistas.

“A nova linha chega para atender uma demanda crescente por produtos que auxiliam no combate ao novo coronavírus. Mesmo com a vacina e após o fim do período crítico, acreditamos que o mercado e os consumidores continuarão cautelosos no que diz respeito à saúde. A cultura de prevenção continuará forte”, completa Silvio Martins, head de marketing da Cipatex®. 

Vale ressaltar que os revestimentos da Cipatex® que estão hoje no mercado não apresentam a tecnologia antiviral. O aditivo de proteção só estará disponível nos produtos da linha AV, comercializados sob encomenda. 

Cipatex/Divulgação

FONTE: Divulgação

Postar um comentário

0 Comentários