Caminhoneiros poderão usar PIX para pagar taxa de verificação de cronotacógrafo

Com o pagamento instantâneo da GRU, usuários poderão realizar serviços imediatamente

A partir deste mês de março, “passar na esteira” ficará mais fácil. A novidade é resultado da nova forma de pagamento da Guia de Recolhimento da União (GRU) de verificação subsequente de cronotacógrafos, que será a aceita pelo Inmetro, o PIX, ferramenta de pagamento instantâneo criada pelo Banco Central (BC).

Com a novidade, proprietários de caminhões, ônibus, vans escolares, veículos de transporte de cargas perigosas, entre outros que tenham o cronotacógrafo, poderão pagar pelo serviço e realizá-lo imediatamente, sem precisar aguardar a compensação do boleto bancário para se dirigir aos Postos Autorizados de Cronotacógrafos (PACs), processo que levava alguns dias.

“O grande problema, até então, é que o pagamento da GRU é feito via boleto, que depende da compensação bancária para que seja feita a inserção dos dados manualmente no sistema do Inmetro. Sem essas informações no sistema, os PACs não podem realizar o serviço. A partir do pagamento via PIX essa informação será praticamente instantânea, facilitando a vida dos usuários e dos PAC´s”, explica Eduardo Ribeiro de Oliveira, coordenador do Programa de Cronotacógrafos, acrescentando que este é um projeto piloto para a implantação do meio de pagamento instantâneo para outras áreas do Inmetro.


De acordo com o Inmetro, a emissão da GRU continuará a ser feita pelo site https://cronotacografo.rbmlq.gov.br/grus/emitir_verificacao. Já o pagamento via PIX poderá ser realizado por meio de um QR code e o número do código de barras que será apresentado na página. O usuário interessado em utilizar a nova modalidade deverá apontar o celular e realizar o pagamento via app do seu banco ou copiar o número para o seu internet banking. Em caso de dúvida, a Inmetro também disponibiliza um passo a passo.

Ainda segundo órgão, o pagamento da GRU via Pix também será aceito para verificação pós reparo e periódica, realizada a cada dois anos.


Postar um comentário

0 Comentários