Bolsonaro "demite" presidente da Petrobras e indica general para comando da estatal

Diego Vara/Reuters
O Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, anunciou na noite desta sexta-feira, 20 de fevereiro, uma importante troca no comando da Petrobras. Para assumir o cargo de presidente da estatal, ocupado por Roberto Castello Branco, Bolsonaro indicou o general Joaquim Silva e Luna, atual diretor da Itaipu Binacional. A decisão é confirmada pelo Ministério de Minas e Energia (MME).

"O governo decidiu indicar o senhor Joaquim Silva e Luna para cumprir uma nova missão, como conselheiro de administração e presidente da Petrobras, após o encerramento do ciclo, superior a dois anos, do atual presidente, senhor Roberto Castello Branco", diz a publicação assinada pela Assessoria de Comunicação Social do MME e compartilhada por Bolsonaro.

Mas para que a troca de comando da estatal ocorra de fato, será necessário a aprovação do Conselho de Administração da Petrobras. Uma reunião ordinária está prevista para a próxima terça-feira, 23 de fevereiro, mas a pauta não foi divulgada. 

A mudança na petroleira acontece um dia após Bolsonaro criticar à gestão da companhia e às sucessivas altas no preço dos combustíveis.

"...Eu não posso interferir, nem iria interferir na Petrobras, se bem que alguma coisa vai acontecer na Petrobras nos próximos dias, você tem que mudar alguma coisa, vai acontecer", disse em transmissão ao vivo pelas redes sociais nesta quinta-feira (18).

Bolsonaro ainda classificou como "fora da curva" o último e expressivo reajuste de 15,2% no valor do litro do óleo diesel e de 10,2% no litro da gasolina. 

“Teve um aumento, no meu entender, aqui, eu vou criticar, um aumento fora da curva da Petrobras. 10% hoje na gasolina e 15% no diesel. É o quarto reajuste do ano. A bronca vem sempre para cima de mim, só que a Petrobras tem autonomia”, afirmou.

Por meio de nota, a Petrobras se pronunciou sobre a decisão do Governo Federal e ressaltou que os atuais mandatos do presidente Roberto Castello Branco e demais Diretores Executivos da empresa seguem vigentes até o dia 20 de março de 2021.


Confira na íntegra a nota da Petrobras:

A Petrobras informa que recebeu ofício do Ministério das Minas e Energia, solicitando providências a fim de convocar Assembleia Geral Extraordinária, com o objetivo de promover a substituição e eleição de membro do Conselho de Administração, e indicando Joaquim Silva e Luna, em substituição a Roberto da Cunha Castello Branco.

Ademais, a União propõe, em função da última Assembleia Geral Ordinária ter adotado o voto múltiplo, que todos os membros do Conselho de Administração sejam, imediatamente, reconduzidos na própria Assembleia Geral Extraordinária, para cumprimento do restante dos respectivos mandatos.

O ofício solicita ainda que Joaquim Silva e Luna seja, posteriormente, avaliado pelo Conselho de Administração da Petrobras para o cargo de Presidente.

A Petrobras esclarece que o presidente Roberto Castello Branco e demais Diretores Executivos da empresa tem mandato vigente até o dia 20 de março de 2021.

A Petrobras informa que novos fatos relevantes serão oportunamente divulgados ao mercado.

Confira a nota oficial do Ministério de Minas e Energia: CLIQUE AQUI

Confira na íntegra a publicação de Bolsonaro:

Publicado por Jair Messias Bolsonaro em Sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021


Postar um comentário

0 Comentários