Publicidade

Preço do diesel aumenta 18% desde maio

IVECO/Divulgação
O Índice de Preços Ticket Log (IPTL) divulgou nesta semana novas estatísticas e previsões sobre a precificação do óleo diesel no Brasil. De acordo com o levantamento, o preço do diesel já está 18% mais caro desde o mês de maio e deve fechar 2020 a patamares próximos ao período pré-pandemia. O litro do combustível fechou a primeira quinzena de dezembro sendo vendido a R$ 3,825, o maior valor médio registrado desde março, quando foi encontrado na média de R$ 3,746.

Ainda segundo o levantamento, o óleo diesel também já está mais caro que no fim do mês de novembro. O Diesel S-500, mais comum, teve uma alta de 2,1% nos primeiros quinze dias de dezembro, já o diesel S-10 apresentou um aumento ainda maior, cerca de 2,3% em relação ao fim do mês anterior.

No comparativo entre as regiões, o Norte do país segue liderando com os valores mais caros para o diesel comum e o diesel S-10, com as médias de R$ 4,028 e R$ 4,097, respectivamente. Já a região Sul segue apresentando os valores mais baixos na média dos postos em todo o País, com o diesel S-500 sendo encontrado a R$ 3,502 e o diesel S-10 a R$ 3,556, mesmo a região tendo apresentando os maiores aumentos para ambos os combustíveis, cerca de 2,8% em relação a novembro.


Considerando cada um dos estados brasileiros, o Acre mantém a liderança com os valores mais caros para os dois combustíveis, sendo R$ 4,657 para o diesel comum e R$ 4,663 para o litro de diesel S-10, embora este tenha sido o estado que apresentou o maior recuo frente ao fechamento de novembro.

Já os menores valores foram registrados no Paraná, R$ 3,442 o litro do diesel S-500 e R$ 3,490 o litro do diesel S-10.

 “O estado que apresentou maior aumento para ambos os combustíveis no período foi Roraima. O diesel chegou a ficar 4,4% mais caro na média local. Já o diesel S-10 alcançou patamares de crescimento de 5%, com relação ao mês de novembro”, pontua Douglas Pina, Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil.

Com informações: IPTL
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

0 Comentários