Estrela das Estradas


Casas Scania

IVECO A gente nao para

Investigação apura circulação de 10 mil carretas com 4º eixo irregular no Brasil

A extensa e polêmica novela envolvendo a instalação e legalização de 4º eixo em semirreboques LS, ganhou um novo capítulo na noite deste domingo, 6 de dezembro, logo após o Fantástico, programa jornalístico da Rede Globo, exibir uma reportagem intitulada de "A fraude em caminhões e carretas que põe em risco motoristas e passageiros nas estradas brasileiras".


Jornalistas que compõem a equipe do programa, tiveram acesso aos bastidores de uma investigação que está sendo conduzida pela Polícia Civil e pelo Ministério Público de São Paulo com foco em um esquema que burla a atual legislação trânsito e regulariza a circulação de semirreboques do tipo LS dotados de 4º eixo. A modificação amplia em até 10 toneladas a capacidade de carga das combinações de veículo de carga (CVC's), passando de 48,5 toneladas para até 58,5 toneladas.

Iniciada a partir de uma delação de testemunha que preferiu não se identificar à reportagem, a investigação apurou que nos últimos anos, cerca de 10 mil implementos rodoviários receberam o 4º eixo e passaram a circular pelas rodovias brasileiras. E segundo a Polícia Civil, o esquema foi responsável pela movimentação de 50 milhões de reais em adulteração de carretas nos últimos 4 anos.

Monitoramentos feitos por vídeos, escutas telefônicas e até mesmos policiais que se passaram por caminhoneiros e transportadores ao longo da investigação, também revelaram que oficinas responsáveis pelas modificações, localizadas no interior do estado de São Paulo, cobravam entre R$ 26 mil e R$ 28 mil pela inclusão do 4º eixo, em um tempo médio de uma semana.

Além das oficinas paulistas, a investigação também apurou o envolvimento de uma Instituição Técnica Licenciada (ITL) do Paraná, credenciada pelo Inmetro e responsável pela vistoria e emissão de Certificado de Segurança Veicular (CSV), documento que atesta a segurança de modificações feitas em veículos. As vistorias e consequentemente aprovação dos semirreboques modificados ocorriam mediante ao pagamento de propinas.

"Lá era um dos únicos lugares que dava esse atestado de segurança viária contra as previsões legais" revelou ao Fantástico o Promotor de Justiça, Rafael Salzedas Arbach. "Com toda essa documentação, eles levavam isso para o DETRAN e para os funcionários que eles tinham mais contato, era concedida autorização e eles [os implementos] começavam a rodar", completou.

Em novembro, o primeiro desdobramento da investigação ocorreu. Batizada de Operação Transformers, a ação cumpriu 33 mandados de busca e apreensão, sete mandados de prisão, e uma prisão em flagrante por posse de arma de fogo. Ao todo, oito pessoas foram presas na ação que abrangeu os municípios paulistas de Adamantina, Regente Feijó, Irapuru, Pacaembu, Ourinhos, Santa Cruz do Rio Pardo, Campinas, Hortolândia, São Paulo, Itatiba, Mairiporã e Franco da Rocha, além de Arapongas (PR).



Riscos à segurança
Em entrevista ao Fantástico, o professor de Engenharia Mecânica da FEI, Cleber Willian Gomes, comentou os riscos da inclusão do 4º eixo em semirreboques LS. "Leva mais tempo para frear, uma colisão. Se você não tem estabilidade, as consequências podem ser o veículo capotar e o efeito as pessoas correrem risco de morte etc", explicou.

Também em entrevista ao programa jornalístico, o vice-presidente da Associação Paranaense de Organismo de Inspeção e Engenheiro Mecânico, Rubem Penteado de Melo, ressaltou os prejuízos que a modificação pode causar às obras de arte especiais (viadutos, pontes etc). "Quanto maior a frota desses conjuntos circulando com 58 toneladas, maiores serão os danos nas pontes e viadutos", destacou. 

Posicionamento de entidade de caminhoneiros
Procurada pela equipe do Fantástico, a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), se posicionou contra o uso de 4ª eixo em semirreboques LS. "Principalmente pelo fator de segurança e de vida dos próprios caminhoneiros", disse Diumar Bueno, presidente da entidade.

O que pode acontecer com as carretas em circulação?
O Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN) explicou que a circulação de semirreboques do tipo LS, dotados de 4º eixo, é considerada uma infração grave, passível de multa e de retenção do veículo.

Já o Detran-SP informou que realizará uma auditoria para mapear os documentos emitidos irregularmente.


Confira na íntegra a reportagem do Fantástico: CLIQUE AQUI

Polícia Civil/Divulgação
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

0 Comentários