Polícia Civil de MG aponta envolvimento de facção criminosa de SP em queima de cegonheiras

Francyne Perácio/Inter TV
As investigações da Polícia Civil de Minas Gerais sobre a queima de quatro cegonheiras no estado, ganharam capítulos importantes ao longo dos últimos dias. Na última semana quatro conjuntos carregados foram queimados em postos de combustíveis no interior do estado.


Após a prisão em flagrante de dois homens, apontados como responsáveis pelos ataques, as investigações da Polícia Civil mineira apuraram a ligação da dupla com uma facção criminosa do estado de São Paulo. 

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Rafael Horácio, “acredita-se que os suspeitos vieram para Minas Gerais exclusivamente para cometer os crimes. A investigação aponta que a motivação seria enfraquecer a empresa que locava os caminhões, para que a organização criminosa pudesse atuar neste ramo mercadológico e transportar armas e drogas nos veículos, livremente, em todo o território nacional.”


Segundo informações do setor de inteligência da PCMG, existiam fortes indícios de que este tipo de crime se repetiria em Minas Gerais. Também participaram das investigações e prisões, a Delegacia Especializada em Investigação e Repressão ao Roubo a Banco, o Departamento Estadual de Investigação de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri) e o setor de inteligência da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

“A ação rápida, com equipes empenhadas da Polícia e o apoio da PRF, foi fundamental para esse excelente resultado, que culminou na prisão da dupla”, diz o delegado César Matoso, chefe da Divisão Operacional do Depatri.

Ainda segundo o delegado, as investigações continuarão com o objetivo de identificar e prender outros integrantes da quadrilha.


Postar um comentário

0 Comentários