Tombamentos de caminhões disparam na pandemia

Jaqueline Castaldon
Os dados recentes da Polícia Rodoviária Federal sobre a ocorrência de acidentes permite comparar os números de 2019 e 2020 nas Rodovias Federais (que representam aproximadamente 1/3 do total). A pandemia reduziu significativamente os acidentes com outros tipos de veículos, exceto caminhões, conforme ilustra o gráfico a seguir.


No entanto, os acidentes com os veículos de carga que caíram até junho, voltaram a aumentar a partir de julho, ultrapassando os números de 2019!


Na mesma comparação com os números do ano passado, quando isolamos apenas os acidentes do tipo tombamento (que inclui capotamento), identificamos números impressionantes: os tombamentos dos caminhões aumentaram significativamente já a partir de junho.


Quais as razões?

- Descontrole de velocidade?

- Maior movimentação de alguns tipos de veículos mais propensos à ocorrência de tombamentos?

- Estradas mais vazias ou menos fiscalizadas?

A velocidade incompatível nas curvas, alças de acesso, retorno, rotatórias e curvas fechadas é a causa principal dos tombamentos. E esta incompatibilidade não está relacionada com a habilidade ou experiência do condutor. Diversos estudos demonstram que o projeto das chamadas curvas horizontais, não levou em consideração as características dos conjuntos de veículos de carga que trafegam em nossas estradas. Diante desta realidade, cada curva é uma armadilha em potencial que pode levar ao tombamento mesmo o condutor mais experiente e cuidadoso.

A solução é informar ao motorista a velocidade correta, calculada cientificamente, para cada curva da sua rota sempre que estiver conduzindo acima da velocidade segura. E essa solução somente é possível com tecnologia embarcada avançada. O ANJO S-TRACK é a única tecnologia que pode reduzir a zero os tombamentos.

ARTIGO: Eng. Rubem Penteado de Melo

Postar um comentário

0 Comentários