Scania inicia testes com caminhão movido a gás na mineração

Scania/Divulgação
O compromisso da Scania em liderar a transição para um sistema de transporte mais sustentável, não se resume apenas ao desenvolvimento e comercialização de soluções voltadas exclusivamente para o transporte rodoviário de cargas. Prova disso, é a inédita solução da marca voltada para o segmento off-road, que começa a ser testada a partir deste mês. 

Em parceria com a Gerdau, a Mina Várzea do Lopes, localizada em Itabirito, no interior de Minas Gerais, acaba de se tornar palco de testes do primeiro caminhão movido a gás (GNV) da mineração brasileira. Ao longo dos próximos 12 meses, um modelo Scania G 410 6x4, com caçamba de 16 metros cúbicos e operado pela Fagundes, será empregado no transporte de minério de ferro e estéril franco.

“Por se tratar de uma operação inédita para este tipo de equipamento, faremos deste teste um grande laboratório para avaliar outras aplicações e possibilidades. Vemos esta parceria com a Scania com muito bons olhos. Ela é mais um exemplo na jornada da Gerdau para se tornar uma empresa cada vez mais sustentável e que deixe um legado positivo para a sociedade”, comenta Vinícius Fernandes de Moura, Gerente-geral de Suprimentos da Gerdau.

Segundo a Scania, a parceria marca o início de uma trajetória de bons resultados para o transporte e rentabilidade para o cliente. “O gás veio para ficar e somos pioneiros ao oferecer essa solução para o segmento Off Road. Muito se fala da eletrificação e sabemos que é o futuro. Mas o caminhão a gás é o primeiro passo para um transporte mais limpo e atende, aqui e agora, de forma muito satisfatória, entregando rentabilidade, produtividade, disponibilidade e ganhos ambientais. Somos a única marca a oferecer isso, saímos na frente”, destaca Fabrício Vieira de Paula, Gerente de Vendas de Soluções para Mineração da Scania no Brasil.

Estrutura operacional
A inédita solução que começa a ser testada na mina da Gerdau, não se resume apenas ao caminhão em sim, mas também inclui um pacote completo de soluções de transporte. “Estamos acompanhando cada passo desse trabalho com a Gerdau, desde a especificação do caminhão à entrega e o dia a dia na operação. Queremos levar o menor custo operacional e ganhos importantes para o cliente e o meio ambiente. Então, tanto a engenharia da Scania Brasil e da Suécia como a Rede de Concessionárias estão apoiando a empresa para que o veículo apresente o máximo de disponibilidade. Ele vai também com o Plano de Manutenção Premium Flexível, adaptado às características da operação de mineração, que são totalmente diferentes do rodoviário”, explica Fabrício.

A inédita parceria é reforçada por uma grande expectativa por parte da Gerdau. “Temos uma forte expectativa no sentido dos avanços e benefícios sociais resultantes deste tipo de iniciativa. Além das questões econômicas e ambientais, estamos atentos à estruturação de uma cadeia local de produção e abastecimento, que resulte em desenvolvimento social e econômico sustentável”.


Já o o fornecimento de gás natural veicular (GNV) para o inédito modelo off-road ficará a cargo da Logás. Estimativas iniciais apontam para a necessidade de apenas um abastecimento por dia dentro da própria operação, em uma estação compacta, conforme as normas legais e de segurança, e em tempo recorde de 15 minutos. 

“A segurança operacional e de seus colaboradores, seja qual for o tipo de operação da Gerdau, está sempre em primeiro lugar. Sendo assim, para realização dos abastecimentos de GNV será construído um posto de abastecimento específico para o combustível, atendendo todas as normas legais para este tipo de estrutura. Todos os colaboradores envolvidos neste processo, como frentistas, operadores e equipes de ressuprimento de combustível serão treinados em regras específicas e padrões operacionais exclusivos para o armazenamento, consumo e utilização do gás.”, explica Vinícius.

Autonomia operacional
Assim como os tradicionais modelos a diesel da mineração, o inédito Scania G 410 6x4 movido a gás irá operar 24 horas por dia, sete dias por semana. “Quando falamos de mineração, não conseguimos precisar a autonomia do veículo em quilômetros, mas estimamos o que se espera em litros por hora. A expectativa é que ele tenha uma autonomia de 10 metros cúbicos por hora, que nessa operação significa entre 250 e 300 km, mas é claro que isso ainda precisa ser provado no campo”, afirma Fabrício.

“Há mais de 100 anos conectamos pessoas que constroem um futuro mais colaborativo, diverso, inclusivo, sustentável e digital. Identificamos na Scania um parceiro para construir este futuro mais sustentável com a solução do caminhão a gás natural. Estamos a cada dia buscando ser uma empresa mais verde e a oportunidade de testar um veículo movido a GNV, com menor redução de carbono, está diretamente ligada a este propósito e tem sido amplamente discutida por nossas lideranças. O potencial deste modelo é enorme, podendo gerar benefícios para toda a sociedade. É uma proposta inovadora para o setor de mineração no Brasil. Queremos continuar o processo de inovação da mineração, elevando os níveis de segurança de todas as pessoas envolvidas e buscando resultados cada vez mais sólidos, para garantir a redução de insumos e a competitividade do negócio”, conclui Vinícius.

Com informações: Jornada Scania

Postar um comentário

0 Comentários