DNIT libera mais sete quilômetros de pista duplicada na BR-381/MG próximo a Nova União

DNIT/Divulgação
O Ministério da Infraestrutura, por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), libera, nesta segunda-feira (3), mais sete quilômetros de pista duplicada na BR-381/MG, próximo ao município de Nova União. O trecho está localizado entre o km 411 e o km 418, próximo à ponte do Engenho Velho. Somente este ano, já são 28 quilômetros de pista duplicada entregue ao tráfego pelo DNIT. Em 2019, foram liberados mais 7 quilômetros.

A partir da entrega desse novo segmento, o lote está com mais da metade das obras previstas concluídas. De um total de 37,5 quilômetros, 22 quilômetros de pista duplicada já estão abertos ao tráfego. Também foram finalizadas as 11 obras de arte especiais previstas (OAE) neste trecho: seis pontes, dois viadutos e três passarelas para travessia de pedestres.

“As obras de duplicação e modernização da BR-381/MG, que incluem a diminuição do raio de algumas curvas, ou a eliminação das mesmas, vão aumentar a segurança dos usuários da rodovia e contribuir para o desenvolvimento da economia da região”, destacou o diretor-geral do DNIT, general Santos Filho.


Obras em andamento
O DNIT é responsável por quatro de um total de 11 lotes das obras de duplicação e melhoramentos na BR-381/MG no segmento localizado entre Belo Horizonte e Governador Valadares, na região leste de Minas Gerais. Os lotes 3.2 e 3.3 já foram concluídos pela Autarquia. Com 28,6 quilômetros de extensão, o lote 3.1 apresenta 12,7 quilômetros contínuos de pista duplicada concluídos, incluindo os túneis Antônio Dias e Prainha. Os demais lotes da BR-381/MG também passarão por obras de duplicação, mas o processo será realizado através do programa de concessão desenvolvido pelo Governo Federal, por meio do Ministério da Infraestrutura.

Ao longo do segmento da BR-381/MG que será duplicado, localizam-se a região do Vale do Aço e importantes cidades, como Governador Valadares, Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo e João Monlevade. A duplicação também facilitará o acesso ao complexo portuário de Tubarão (ES) e o fluxo de importação/exportação.
DNIT/Divulgação
FONTE: DNIT

Postar um comentário

0 Comentários