header ads


PRF começa a utilizar "Drogômetro" nas rodovias federais de Rondônia

Com o objetivo de combater a perigosa combinação entre o consumo de entorpecentes e direção, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Rondônia iniciou neste mês a fiscalização com "Drogômetros", dispositivos semelhantes ao bafômetro, capazes de identificar o consumo de até 15 tipos de substâncias psicoativas.


Adquiridos por meio de uma verba do Ministério Público do Trabalho de Ji-Paraná em parceria com o Escritório de Serviços e Projetos da Organização Mundial das Nações Unidas, os equipamentos estão sendo utilizados inicialmente em operações de fiscalização em Ji-Paraná, município localizado na região central do estado de Rondônia. Esta é a primeira vez que a PRF adquire este tipo de equipamento no país.

Diferente dos tradicionais equipamentos que identificam o consumo de substâncias ilícitas por meio da saliva, os novos "Drogômetros" da PRF/RO utilizam as digitais dos motoristas para a fiscalização. Ou seja, por meio das partículas de suor presentes nas pontas dos dedos, o equipamento é capaz de fazer o diagnóstico específico da substância consumida. 


Atualmente o Artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), classifica como infração gravíssima "Dirigir sob a influência de álcool ou de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência" e prevê multa (dez vezes) e suspensão do direito de dirigir por 12 (doze) meses.

"O benefício desse equipamento para Polícia Rodoviária Federal é acima de tudo o caráter inibitório. Por que? A partir do momento que o motorista souber que existe um meio de detectar em poucos minutos que ele está ou não sob o efeito de drogas e anfetaminas, ele vai deixar de fazer o uso, porque ele vai correr o risco de ser fiscalizado. E no caso positivo penalizado pelo Artigo 165", destaca Ângela Brôndolo, agente da PRF/RO. " Então para o motorista a penalização é muito grande, porque ele vai correr o risco de ter a CNH suspensa e logo não vai poder exercer sua atividade", completa.

Ainda segundo a PRF, inicialmente apenas os motoristas que apresentarem sinais do consumo de entorpecentes serão submetidos aos testes.

Assista na íntegra a reportagem do Jornal de Rondônia: CLIQUE AQUI

TEXTO: Lucas Duarte
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Parece que todo motorista é drogado pq não faz blitz nas baladas dos playboys,hipocresia,me diz ai onde vc vê uma carreta na madrugada parada numa loja de conveniência de posto,cara bebendo ,fumando cheirando,pelo menos aqui em sp só vejo os filhinhos de papai todo fds fazendo isso,aí o drogado é o caminhoneiro né

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, desrespeito ou ofensas não serão toleradas nos comentários.