CUIDADO COM GOLPES: 10 Dicas pra comprar seu caminhão ou carreta com segurança

Diariamente nos deparamos com notícias de golpes relacionados a vendas de carretas ou caminhões em sites da internet. Os métodos dos criminosos são os mais diversos e estão cada dia mais elaborados, mas o comprador pode observar alguns elementos que ajudam a identificar uma possível negociação duvidosa e evitá-la. 

Conversamos os nossos parceiros da CooperCred Implementos Rodoviários, de Patos de Minas, que já atua há quase 10 anos no segmento de venda de carretas, e separamos algumas dicas importantes para ajudar você a evitar fraudes e golpes. 

1. Sempre desconfie de propostas com valores e condições de financiamento fora da realidade pelo mercado. Anúncios com vantagens absurdas são um sinal de possível golpe. Se empresa, investigue o seu vendedor antes de fechar negócio. Procure se informar sobre seu site e redes sociais. Verifique possíveis referências com outras empresas e clientes da sua região.

2. Não prossiga uma negociação com base apenas em conversas de WhatsApp. Ligue SEMPRE no telefone fixo da empresa e confirme a existência do produto, do vendedor e do número de celular que está negociando com você.

3. Confira se o vendedor é o legítimo dono (empresa ou particular). Você consegue esta informação de forma simples consultando o veículo no site do DENATRAN. A consulta só será completada se o CPF/CNPJ do proprietário informado bater com o do sistema.

4. Esta dica é, na verdade, uma regra: SEMPRE consulte a documentação do produto. Verifique as informações junto ao Detran ou com um despachante de confiança. Verifique os débitos nos site do Detran Dnit, DER, PRF e Denatran. Além de débitos, fique atento a gravames ativos, registros de leilão, sinistros e impedimentos judiciais e administrativos. Se houver alguma pendência, não faça nenhum pagamento até ser regularizada.

5. Confira se o CRV (recibo de transferência) está em posse do vendedor antes de finalizar o pagamento no dia da retirada, para garantir que você não terá problemas com a transferência. Caso necessário, aguarde e emissão de 2ª via. Depois de preenchido, confira todos os seus dados.


6. Comprou de empresa? Atente-se a documentação que o seu Detran exige para transferência, como contrato social autenticado, certidão negativa de débitos, NF de venda ou cópia da CNH dos sócios. Se houver procuração, verifique a veracidade no cartório que a redigiu e se você vai precisar de cópia autenticada. 

7. Compare os dados do sistema do Detran com a plaqueta de identificação, chassi, número do motor e documentação de rodar (CRLV). Todos os dados devem bater. Lembrando que implementos devem ter 2 marcações de chassi, uma de cada lado.

8. Esta dica é pouco usada, mas pode evitar grandes problemas. Verifique se a sequência de chassi bate com o padrão da montadora. Todas as marcas possuem um padrão de gravação que garante a procedência do produto. Compare os números com carretas de amigos e conhecidos quem tem a mesma marca/modelo. Muitos golpistas usam numeração de chassi de carretinhas de carro, por exemplo, para alterar documentos de produtos roubados.

9. Esta dica é muito importante: os depósitos devem ser para contas pertencentes à empresa ou pessoa que está vendendo. Contas em nomes de terceiros são sinais fortes de fraude, principalmente sinal de negócio. 

10. Efetue o pagamento apenas após conferir o produto pessoalmente e checar todas as dicas anteriores. Cuidado nunca é demais. Desconfie sempre.

Pra finalizar, a gerente administrativa da revenda, Patrícia Souza, adiciona uma dica extra: "Está vendendo? Não se esqueça de colocar comunicação de venda assim que preencher o CRV (recibo). Desta forma você se isenta das responsabilidade após a entrega do veículo, como multas e outros débitos, por exemplo."

Gostou do conteúdo? Compartilhe com os seus amigos.

Postar um comentário

0 Comentários