Carteira de pedidos impede paralisação completa da indústria de implementos rodoviários

Lucas Duarte
Apesar dos impactos gerados pela pandemia de COVID-19 (Coronavírus), a indústria brasileira de implementos rodoviários em sua maioria está operando entre 60% e 100% de sua capacidade. Os dados são de uma pesquisa realizada pela Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (ANFIR) em que 52% das empresas associadas e ouvidas, confirmaram atividades nessa faixa.

De acordo com a entidade, a elevada produtividade é justificada pelo número de pedidos em carteira que vinham sendo fechados desde o início do ano. “Nossos produtos não são de pronta entrega mas sim produzidos e entregues dentro de uma programação específica e isso explica a situação”, diz Norberto Fabris, presidente da ANFIR.


As perspectivas para um futuro próximo são ainda melhores, uma vez que muitas cidades brasileiras deram início ao processo de suspensão da quarentena e a principais montadoras de veículos do país estão retomando as atividades. “São sinais que a atividade econômica nas cidades será retomada”, diz Fabris e completa: “A parada nos negócios não foi por completo porque alguns segmentos continuam em operação por conta da necessidade urgente de distribuição de produtos necessários à população, como alimentos, medicamentos, combustíveis entre outros”.

Ainda segundo a ANFIR, grande parte dos associados à entidade acredita que o mercado deve reagir no início do segundo semestre. “O nosso ritmo está apenas amortecido e a disposição da nossa gente não foi abalada mesmo com a situação grave que nos foi imposta pela pandemia. É certo que teremos pela frente meses difíceis mas sabemos que temos força, energia e determinação para superar mais esta crise”, conclui o presidente da ANFIR.

TEXTO: Lucas Duarte
Com informações: ANFIR
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

0 Comentários