header ads


Mercedes-Benz do Brasil exporta 58 caminhões Atego e Accelo para o Egito

Mercedes-Benz/Divulgação
A Mercedes-Benz do Brasil fechou nesta semana uma importante negociação de caminhões para o continente africano. A divisão brasileira da marca será responsável pela exportação de 58 unidades de caminhões Accelo e Atego para o Egito, sendo 28 modelos Atego 1725/48 4x2, dois Atego 1725/36, oito Atego 1418 e 20 Accelo 915. 

Com entregas previstas ainda no primeiro trimestre deste ano, os novos caminhões serão empregados em atividades de limpeza de esgotos e estradas no grande projeto egípcio da Nova Capital do Cairo que está sendo criado a cerca de 40 km da cidade. Segundo a montadora, os modelos Atego 1725 e Atego 1418 serão equipados com sweeper (vassoura móvel). Já os modelos Accelo 915 serão implementados com jet vaccum.

“Essas operações severas exigem veículos robustos, resistentes e que tenham ótimo custo-benefício. Por isso, essa nova venda reafirma a preferência dos clientes pelos caminhões Mercedes-Benz produzidos no Brasil e reforça o compromisso da marca em oferecer modelos de acordo com a necessidade de cada país”, afirma Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas e Marketing Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil.


Sucesso no Egito
Essa não é a primeira vez que a Mercedes-Benz do Brasil exporta caminhões para o Egito. Em 2019 a marca forneceu modelos Atego 1725 4x4 para operações ainda mais severas no país. Equipados com tanques e carrocerias para cargas secas, os veículos são responsáveis atualmente pelo suporte logístico em operações da ONU no deserto.

“Além do Atego e do Accelo, nosso portfólio oferece muito mais opções de veículos para serviços municipais, operações fora de estrada e transporte de cargas. Atendemos, assim, as demandas do Egito, como também de diversos países da África e também do Oriente Médio, mercados em que a força, robustez e resistência dos nossos caminhões sobressaem nas mais severas atividades, assegurando eficiência e rentabilidade”, conclui Leoncini.
Mercedes-Benz/Divulgação
TEXTO: Lucas Duarte
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

0 Comentários