Conheça o MAN TGS 65.500 12x4: Uma das maiores bombas de concreto da Europa

MAN Trucks/Divulgação
A empresa holandesa, Gebr. A van Antwerpen, se tornou recentemente proprietária de uma das maiores bombas de concreto do velho continente. Trata-se de um equipamento com alcance de 65 metros, construído sobre um modelo MAN TGS 65.500 12x4.

Baseado em uma versão 8x4 do modelo alemão, o novo equipamento da empresa holandesa passou por uma extensa lista de transformações que inclui, alongamento do chassi para 16 metros com reforço de 1,5 mm, adição de dois eixos em parceria com Wierda Vehicle Technology e bomba de concreto Schwing. Finalizado o modelo conta com um peso bruto total de 63,5 toneladas. 

Este não é o primeiro MAN na frota da empresa holandesa. "Temos vários caminhões MAN em nossa frota de bombas de concreto. E eu gosto muito disso. Quando encomendamos esta bomba de concreto de 65 metros no ano passado, escolhemos deliberadamente a MAN ", destaca o co-proprietário Henri van Antwerpen. “O que conta na compra é o serviço do revendedor Den Engelsen Bedrijfswagens. Isso significa que escolhemos novamente a MAN com total confiança. Após um serviço, não se perde tempo e, como regra geral, a bomba de concreto deve seguir para o próximo", explica o empresário.


“Pode parecer um pouco exagerado, mas na verdade o concreto é perecível. Seca rapidamente e, se não chegarmos a tempo, terá consequências para toda a cadeia de construção. Portanto, precisamos confiar em nossas máquinas. Não por um tempo, mas por oito a dez anos ", diz Van Antwerpen.

De acordo com o empresário, o antecessor do modelo MAN TGS 65.500 12x4 trabalhou a maior parte do tempo parado, mas com o motor em constante funcionamento. "Nosso equipamento anterior percorreu um pouco mais de 250.000 km em nove anos. Mas às vezes nossas bombas funcionam por três dias seguidos ", destaca o empresário.

Inicialmente o gigante MAN TGS 65.500 12x4 será empregado em um dos maiores canteiros de obra da Holanda e Bélgica.
MAN Trucks/Divulgação
MAN Trucks/Divulgação
TEXTO: Lucas Duarte
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

0 Comentários