PRF retém dois bitrens com quase 50 toneladas de excesso de peso

Divulgação/PRF
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) reteve na manhã desta quarta-feira (24) dois bitrens com excesso de peso em Ponta Grossa.
Com cerca de 50 toneladas acima do limite máximo, cada bitrem foi abordado na BR-376 durante fiscalização de pesos e medidas. Um dos bitrens pesava 98,4 toneladas e o outro, 97,5, bem acima do limite de 74 toneladas.
De acordo com a legislação, cada caminhão tem o limite de peso de 74 toneladas e a capacidade máxima para tracionar 78 e 80 toneladas, respectivamente, de acordo com o fabricante. Ambos excederam as suas capacidades nos dois quesitos e foram autuados em aproximadamente R$ 15 mil e R$ 13 mil.
Os veículo, que saíram de Juranda (PR) com destino à Braço do Norte (SC), foram autuados e retidos em um pátio conveniado à PRF para transbordo da carga excedente. Com as multas lavradas durante esta fiscalização, ambos já possuem um histórico de autuações desta natureza, perfazendo um total de mais de R$ 54 mil desde 2017. Um deles possui multas pendentes que deverão ser quitadas para liberá-lo do pátio.
Na segunda (22), também em Ponta Grossa, um caminhão com 9,5 toneladas excesso de peso foi retido na BR-376. Carregado com blocos de cerâmica para laje, ele foi autuado em R$ 2,3 mil. Na terça (23), outro caminhão foi retido e autuado em cerca de R$ 1,2 mil, quando transportava 4,7 toneladas de soja acima do permitido – o valor é proporcional ao tamanho do excesso de peso, conforme o artigo 231 do Código de Trânsito.
O excesso de peso, além de provocar danos e reduzir a vida útil do asfalto das rodovias, pode provocar acidentes graves. Ele compromete o funcionamento dos sistemas de freios e de suspensão dos caminhões, além de reduzir a sua velocidade.
FONTE: Agência PRF 

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Me desculpe, mas a repórter ou é mal informada ou é ignorante mesmo! Aonde ela viu rodotrem ali? Dois bitrens de 9 eixos, bem diferentes de rodotrem. Além disso o texto confunde excesso de carga com capacidade de tração.

    ResponderExcluir
  2. Deveria perder o caminhão, o mesmo ir a leilão, e o dinheiro, utilizado na manutenção de rodovias. Provavelmente, não teríamos mais reincidencias.

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, desrespeito ou ofensas não serão toleradas nos comentários.