Scania cresce mais 50% em 2018 e aposta em nova alta do mercado de caminhões em 2019

Nesta quarta-feira (20), direto da fábrica em São Bernardo do Campo, São Paulo, a Scania fez um balanço dos resultados alcançados ao longo de 2018 e confirmou as projeções para o mercado brasileiro de caminhões em 2019. 
De acordo com a montadora sueca, 2018 foi um ano de grandes conquistas e que deixou a sua marca na história da empresa, tendo como principais destaques o lançamento da Nova Geração de Caminhões e os resultados sólidos obtidos a partir das vendas de caminhões em todo o país. 

LEIA: Nova Geração Scania chega oficialmente ao Brasil e a América Latina 

No segmento acima de 16 toneladas, composto por modelos semipesados e pesados, a Scania emplacou 8.463 caminhões, alta de 50,2% em relação a 2017. O número garantiu ainda a montadora uma participação de 16,4% no mercado. Considerando apenas o mercado de pesados, a Scania comercializou ao longo do último ano 8.028 caminhões, frente aos 4.891 modelos emplacados em 2017, número que garantiu um crescimento de 63,8% no comparativo entre os dois períodos. 
“A Scania cresceu 50,2% acima de 16t e 63,8% nos pesados. Mas, cresceu com sustentabilidade e rentabilidade do negócio. De nada adianta só fazer volumes e perseguir freneticamente a liderança sem margens consistentes para a saúde financeira da empresa. Buscamos a satisfação plena do cliente”, destacou Silvio Munhoz, diretor comercial da Scania no Brasil. 
Mercado de caminhões em 2019
Já para 2019 a Scania projeta um novo crescimento do mercado brasileiro de caminhões. De acordo com as previsões da montadora, o segmento acima de 16 t (semipesados e pesados), deverá crescer entre 10% e 20% na comparação com 2018. Fatores como o início da comercialização da nova geração de caminhões, ampliação e renovação de frotas e setores como o agronegócio, industrial e varejo deverão puxar as vendas ao longo deste ano. 
“Outro ponto fundamental para nossa projeção positiva é a previsão de nova safra recorde, o que já está contribuindo para o aquecimento da compra de caminhões, especialmente de pesados”, explica Munhoz. “O agronegócio continuará protagonista. Já foram encomendadas mais de 1 mil unidades da Nova Geração para o transporte de grãos em 2019. Queremos ajudar o cliente a reduzir o custo total da operação.”, revelou. 

TEXTO: Lucas Duarte
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário