Mercado de implementos rodoviários cresce 50% no primeiro mês de 2019

Assim como o mercado de caminhões, a comercialização de implementos rodoviários vem dando significativos de crescimento e de superação do período de crise. Prova disso são os números divulgados nesta semana pela Associação Nacional do Fabricantes de Implementos Rodoviários (ANFIR).
De acordo com os dados da entidade, ao longo do primeiro mês de 2019 foram comercializados 4.392 reboques e semirreboques, crescimento de 83,69% em relação a janeiro de 2018, quando foram comercializadas 2.391 unidades. 
Dentre os quinze tipos de implementos considerados pela Anfir, destaca-se a comercialização expressiva de graneleiros/carga seca com 1.205 unidades, volume que corresponde a 27% do total de unidades comercializadas em janeiro de 2019 e 87% a mais do que no mesmo período de 2018. 
Já o segmento de carrocerias sobre chassi também apresentou crescimento significativo. De acordo com os dados da Anfir, em janeiro de 2019 foram comercializadas 3.628 carrocerias, crescimento de 23,40% em relação ao mesmo período de 2018, quando foram comercializadas 2.940 unidades. Destaque para as carrocerias do tipo baú de alumínio/frigorífico que teve 1.459 unidades comercializadas no primeiro mês do ano, volume que corresponde a 40% do total da categoria e de carrocerias sobre chassi. 
Somando-se o número de reboques e semirreboques comercializados com o total de carrocerias sobre chassi vendidas chega-se ao total de geral de 8.020 unidades comercializadas no primeiro mês de 2019. Crescimento de 50,44% em relação ao mesmo período de 2018 (5.331 unidades). 
Para o presidente da entidade, os números registrados em janeiro confirmam o momento de recuperação vivenciado pelo mercado de implementos. “O momento do setor é de recuperação de mercado e sabemos que é um trabalho demorado porque a indústria de implementos rodoviários depende do desempenho da economia”, diz Norberto Fabris, presidente da ANFIR- Associação dos Fabricantes de Implementos Rodoviários. “Enquanto a economia ligada ao agronegócio segue apresentando bons resultados, nos centros urbanos os negócios não estão girando no mesmo ritmo”, assinala e explica: “o reflexo desse descompasso é observado no total dos emplacamentos de implementos rodoviários”, concluiu. 


Confira na íntegra os dados da ANFIR: CLIQUE AQUI 

TEXTO: Lucas Duarte
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário