Scania: Gama europeia de motores Euro 6 da Scania oferece potência para diversas necessidades

“A tendência é que motores elétricos substituam a maioria das outras alternativas em um futuro próximo, no caminho para um sistema de transporte isento de combustíveis fósseis,” diz Alexander Vlaskamp, vice-presidente Sênior e diretor de Caminhões da Scania Suécia. A Scania apresentou novas soluções na IAA 2018 (67º Salão Internacional de Veículos Comerciais), que começou no último dia 20, e foi realizada em Hannover até esta quinta-feira (27).
“Mas, até termos soluções de baterias sustentáveis, o ecossistema de mobilidade continuará a depender, em grande parte, dos motores de combustão, alimentados por combustíveis renováveis”, analisa Vlaskamp. “É muito cedo para descartar os motores de combustão interna (ICE), que continuam a ser a melhor alternativa quando se fala em redução de emissões e economia de combustível, comparando à outras alternativas na maioria das aplicações.”
Em agosto de 2016, a Scania introduziu a Nova Geração de caminhões na Europa, disponibilizando 23 opções diferentes de motores Euro 6, que podem ser divididos em quatro famílias distintas. A mais recente novidade da gama de motores Scania é o de 13 litros, com 410cv e 2.150Nm, para ser abastecido com bioetanol (ED95), e que foi apresentado pela primeira vez em maio de 2018. As suas características – aliadas à filosofia Scania de alta potência a baixas rotações e com o mesmo nível de performance que o seu equivalente movido à diesel – faz dele o motor ideal para as mais diferentes aplicações, incluindo a distribuição regional e a construção-civil.
“Levando em conta as leis de oferta e procura, vemos que o maior interesse pelo bioetanol está em países como Suécia, Noruega, Finlândia e França, onde este combustível está mais disponível,” conta Vlaskamp. “O bioetanol proporciona redução de CO2 em até 90%, além de possuir muitas características positivas. Uma delas é a produção simples, em grandes quantidades, a partir de diferentes matérias-primas.”
A Scania possui também uma linha de motores a gás, combinados com propulsores de classe A, equipados diretamente de fábrica com depósitos tanto para gás natural comprimido (GNC) como para gás natural liquefeito (GNL) ou, eventualmente, biogás, em qualquer uma das formas de armazenamento. É equipado com um motor de 9 litros de 5 cilindros, e duas opções de potência: 280 ou 340cv. As versões funcionam segundo o Ciclo OTTO, com ignição por velas e recirculação dos gases de escape (RGE) e um catalisador de três vias, para o tratamento posterior das emissões. Com os tanques de GNL é possível percorrer distâncias até 1.600 km, ou superiores.
“As diferentes soluções a gás são, definitivamente, os combustíveis alternativos atualmente mais atrativos, se considerarmos a totalidade do mercado europeu,” comenta Vlaskamp. “Em muitos países e regiões assistimos a uma expansão constante da infraestrutura necessária que, como é óbvio, também suscita um maior interesse entre os transportadores.”
FONTE: Scania 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário