Caminhoneiros prometem protestos e bloqueio de estradas na próxima segunda-feira

Insatisfeitos e irritados com o crescente descumprimento do tabelamento mínimo do frete, determinado pela Resolução nº 5.827, caminhoneiros de Goiás deram início a uma mobilização e anunciaram protestos nas rodovias do estado a partir da próxima segunda-feira (29). 
Em vídeo divulgado nas redes sociais, Wallace Landim, o Chorão, uma das lideranças da categoria na paralisação nacional que aconteceu em maio, confirmou o início dos protestos nas rodovias que cortam o município de Catalão, Goiás, uma das principais ligações das regiões sul e sudeste com o centro-oeste e norte do país. 
"Vamos bloquear a pista, as entradas das fábricas. Todos os caminhões que estiverem carregados abaixo do piso mínimo vai ter de voltar para a transportadora. Só sai de Catalão dentro do piso mínimo", diz Chorão em trecho do vídeo.
Segundo informações do Jornal Estado de S.Paulo, os bloqueios podem não se limitar a Goiás. Em Santa Catarina, a categoria deve se reunir para decidir se adere ou não ao movimento, segundo informou o autônomo Alexandre Fróes, que atua no porto de Itajaí. "A movimentação está em todos os Estados", informou.
Já no estado paulista, o presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Bens (Sindicam) de São Paulo, Norival de Almeida Silva, o "Preto", informou que até o momento não existem manifestações previstas. 
Apesar da tabela em vigor, segundos os caminhoneiros, as transportadoras estão pagando frete abaixo do piso mínimo estabelecido pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). "Se o caminhoneiro não aceita, ele entra para uma espécie de "lista negra" e não é mais contratado".
Segundo a categoria, o constante descumprimento é reforçado pela ausência de uma fiscalização efetiva do órgão federal e pela falta de regulamento com penalidades. "Eu não acho justo parar um país para fazer uma agência de governo funcionar, mas é isso que pode acontecer", conclui Chorão.
Atualmente, a ANTT colhe sugestões para elaborar as penalidades pelo descumprimento da tabela. O prazo para apresentação de propostas acaba no dia 9 de novembro. Após este período, as propostas serão consolidadas para só então ser elaborada uma norma. 

Confira na íntegra o vídeo: 
TEXTO: Lucas Duarte
Com informações: Estadão Conteúdo
Caminhões e Carretas 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário