Justiça proíbe protesto de caminhoneiros em Santos nesta quarta-feira

Atendendo a um pedido da Ecovias, concessionária que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), O juiz Dario Gayoso Júnior, da 8ª Vara Cível de Santos, expediu liminar na noite da última terça-feira (15) restringindo a paralisação de caminhoneiros marcada para hoje (16) a partir das 6h da manhã. 
Na recente decisão, o magistrado proíbe os manifestantes de se aproximar a menos de 500 metros "dos bens, viadutos e das rodovias que integram o Sistema Anchieta-Imigrantes, bem como suas praças de pedágio, especialmente no Viaduto  da Alemoa". Além da proibição, a liminar estabelece ainda multa de R$ 300 mil por hora ao Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista e Vale do Ribeira (Sindicam Santos/SP), em caso de desobediência. 
A manifestação de caminhoneiros organizada pelo Sindicam Santos/SP foi decidida em assembléia realizada na sede do próprio sindicato, após um pedido da própria categoria de caminhoneiros autônomos da região Santista e divulgada na última segunda-feira (14) através de um comunicado oficial. 
De acordo com a entidade, a manifestação pacífica com duração de 12 horas localizada no km 64 da Rodovia Anchieta, deixará uma faixa liberada apenas para veículos de emergência e população de região. 
A nota do Sindicam Santos/SP revelou ainda quais são as principais reivindicações da categoria durante a paralisação. Destaca-se a redução nos preços dos combustíveis, aumento do valor do frete e cumprimento da isenção de pagamento de pedágio de eixos erguidos, determinada pelo Decreto Federal nº 8.433/15, mas descumprindo no Estado de São Paulo.
Até o momento, o Sindicam Santos/SP não se pronunciou sobre a decisão judicial. 

LEIA: Baixada Santista terá paralisação de caminhoneiros nesta quarta-feira (16)

Outros protestos
Nos últimos dias, protestos de caminhoneiros foram registrados nas principais rodovias do país. Em Minas Gerais, bloqueios foram registrados na BR-381 e na BR-040. No Rio de Janeiro, protestos foram registrados na Rodovia Presidente Dutra, próximo ao município de Barra Mansa.
Já nesta segunda-feira (14), a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) protocolou um ofício na Presidência da República e na Casa Civil para cobrar medidas efetivas do Governo Federal diante dos frequentes e consecutivos aumentos nos preços dos combustíveis. Segundo a entidade, caso o governo não se pronuncie até o próximo domingo (20) uma paralisação geral dos transportadores poderá ser convocada.

LEIA: Aviso de greve: Caminhoneiros dão ultimato por redução do preço do diesel

TEXTO: Lucas Duarte

Blog Caminhões e Carretas
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário