Protesto dos cegonheiros se muda para frente da Jeep

Cerca de 150 caminhões cegonha estão sendo estacionados, nesta segunda-feira,  em frente Fábrica da Jeep, em Goiana, Zona da Mata Norte de Pernambuco. Os cegonheiros seguiram para o local no início da manhã, depois de deixarem a orla de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. A medida atendeu a uma ordem judicial.
A manifestação, no entanto, continua. De acordo com a assessoria do Sindicato dos Trabalhadores Autônomos e Microempresas de Veículos e Congêneres de Pernambuco (Sintraveic-PE), as primeiras carretas já chegaram ao local. No trajeto, os caminhões passaram pela Avenida Antônio de Goés, no Pina, pela PE-15 e pela  BR-101 mas, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), não interromperam o fluxo na rodovia.
Desde o dia 31 de julho, os cegonheiros protestam por maior atuação no transporte de veículos da Fábrica da Jeep de Goiana. Os manifestantes alegam que cerca de 900 motoristas de outros estados, como São Paulo e Minas Gerais, atuam no escoamento da fábrica,  enquanto 120 profissionais locais estariam preparados para realizar o trabalho. A categoria quer que 78% do setor utilize a mão de obra local.
Primeiro o ato ocupou ruas do bairro de Santo Amaro, Santo Antonio e Bairro do Recife. No dia três de agosto, a Fiat convocou uma reunião e apresentou uma planilha para cumprir o Prodeauto com até um percentual maior, mas não com o setor de escoamento, que seria levado para decisão superior.
No dia oito, foi protocolado um pedido de audiência com o governador. No dia nove, a Justiça determinou a saída dos caminhões do centro do Recife, no mesmo dia categoria faz um acordo para cumprir a liminar. No dia 11, as carretas foram para a orla de Boa Viagem. No dia 15, foi assinado um novo pedido de protocolo com o Governador e entregue ao chefe de gabinete da casa civil, Marcelo Canutto. No dia 16, o governo ingressou novamente na justiça para retirar os caminhões. No dia 24 saiu a determinação de retirada imediata dos caminhões da Avenida Boa Viagem, com a ampliação dos valores de multas.
De acordo com o presidente, Milton Freitas, o Sintraveic- ainda não foi notificado pela Justiça para desocupar a orla. Na sexta-feira passada, o juiz Lúcio Grassi de Gouveia, da 8ª Vara da Fazenda Pública da Capital, manteve a decisão sobre a retirada das mais de 40 carretas estacionadas há mais de duas semanas entre o Parque Dona Lindu e a divisa com Jaboatão dos Guararapes. O descumprimento da medida acarreta em pagamento de multa diária de R$ 50 mil por veículo estacionado e de R$ 100 mil para o Sintraveic.
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário