Saiba como descer uma serra com segurança

São frequentes no Brasil acidentes graves com veículos de carga descendo serras. O último na BR-277 resultou em 6 óbitos e muitos feridos. Veículos descontrolados, não conseguem reduzir a velocidade na  serra e acabam tombando ou colidindo com outros veículos.

Qual a causa fundamental desse tipo de acidente?
Tanto para contornar as curvas do trecho quanto para manter o veículo dentro do limite de velocidade, o condutor deve usar os sistemas de freio, tanto motor quanto de serviço. O resultado da utilização do freio de serviço é o aumento de sua temperatura, que é normal desde que mantido dentro dos parâmetros técnicos de eficiência de frenagem. Ocorre que, à partir de determinadas combinações de declividade e velocidade inicial de descida, a temperatura se eleva a tal ponto de provocar a redução da eficiência de frenagem, processo conhecido como fade ou fading. Este fenômeno provoca a vitrificação das lonas de freio e o espelhamento dos tambores, podendo ser observado fumaça e, eventualmente, até chamas. A conseqüência direta é o aumento da distância de parada e, no limite, a perda total da capacidade de reduzir a velocidade ou parar o veículo. E o acidente passa a ser inevitável.
- Além da condição de manutenção dos sistemas de freios, a declividade (também conhecida como grade) e a velocidade no início da descida são fundamentais para uma descida controlada. Estudos realizados em outros países apontam que a velocidade inicial de trechos com acentuado grade de descida deve ser definida com base no peso dos veículos e combinações de veículos e sua capacidade de frenagem. Por isso, iniciar a descida já em velocidade reduzida é fundamental para manter o veículo sob controle e com boa capacidade de frenagem.

Assim, para veículos de carga descerem uma serra de forma segura, devem ser garantidas as seguintes condições:
1 - O veículo deve estar em boas condições de manutenção, especialmente o freio-motor e o freio convencional. Lonas, tambores, catracas e câmaras de freio (“cuícas”) em ordem, e sistema pneumático sem vazamentos, são fundamentais;
2 - O condutor deve reduzir a velocidade ainda no alto da serra, antes de iniciar a descida. E acionar o sistema de freio-motor já no início da descida;
3 - O condutor deve manter engatada uma marcha reduzida de forma a garantir uma velocidade adequada para o trecho. A marcha reduzida deve manter a velocidade compatível, e não os freios;
4 - O condutor deve evitar a utilização frequente do freio convencional (pedal e manetim) para correção da velocidade. Caso a marcha escolhida seja incompatível com a velocidade segura definida, o condutor deve engatar uma marcha mais reduzida;
5 - O acionamento frequente do sistema de freio convencional (pedal e manetim) poderá provocar o superaquecimento do sistema de lona-tambor, e por consequência a redução da sua eficiência.

Lembrem-se: quem dirige um caminhão é "Motorista Profissional". Ou seja, a sua profissão é conduzir um equipamento operacional chamado caminhão. Por isso, precisa dominar as técnicas para uma condução segura.
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário