Scania vende caminhões blindados para a Esquadra

A Scania comemora a terceira venda de caminhões blindados de sua história, após iniciar a atuação neste mercado em dezembro de 2015. Com matriz em Belo Horizonte (MG), a Esquadra adquiriu três unidades do semipesado P 250 8x2, e se tornou a primeira empresa a comprar veículos blindados nesta configuração de rodas da marca sueca. Os veículos se juntam à frota de carros-fortes da Esquadra, especializados em transporte de alto valor agregado. A Casa Scania Codema (SP) foi a responsável pela negociação, e a MIB Blindados fez a blindagem, a carroceria e a cabine dos modelos.     
“A venda dos primeiros semipesados 8x2 ao mercado de blindados significa muito para a Scania. A Esquadra reconheceu todas as vantagens desta configuração de rodas que foi pioneira da Scania na categoria dos semipesados. Fazer uma parceria com uma empresa do tamanho da Esquadra também é motivo de satisfação”, afirma Victor Carvalho, diretor de Vendas de Caminhões da Scania no Brasil. “A Scania estreou no mercado de blindados no fim de 2015, e em menos de um ano vem colhendo ótimos frutos.” 
“Ao adquirir caminhões da Scania, a Esquadra confirma sua capacidade de competir neste segmento de transporte de cargas de alto valor. Nossos clientes ficarão ainda mais satisfeitos”, comenta Júlio Marra, diretor Operacional do Grupo Esquadra. 
Os produtos Scania escolhidos pela Esquadra têm cabine e baú blindados, cabine com quatro lugares, blindagem nível três, fechaduras eletrônicas em todas as portas, duplo sistema de rastreamento, divisores internos de cargas, plataforma traseira elevatória, porta com sistema de travamento interno e externo. Todos os veículos são blindados, com tecnologia embarcada de segurança avançada com GPS, sistema de videomonitoramento, botão de pânico, fechadura randômica, sensores de portas e sirenes. A nova frota tem capacidade técnica para transportar 14.000 kg, com volume de 44 metros cúbicos. 
“Os diferenciais determinantes para a escolha da Esquadra pela linha semipesada da Scania foram a velocidade média mais alta da categoria e a superior capacidade técnica dos eixos, que permite o trabalho constante dentro da lei da balança gerando maior durabilidade dos componentes”, explica Celso Mendonça, gerente de desenvolvimento de negócios da Scania no Brasil. 
Soluções Scania para atender as necessidades da Esquadra
A engenharia da Scania fez um estudo completo de projeto para adequar os caminhões à demanda da Esquadra. Graças à filosofia da Scania de trabalhar com a produção em sistema modular global é possível encontrar a melhor solução, ou seja, buscar sempre algo diferente para aumentar a rentabilidade e a disponibilidade da frota do cliente. Para a Esquadra foi disponibilizado um grande leque de configurações e opcionais para entregar o produto ideal e customizado.      
A necessidade da Esquadra exigia um caminhão com quatro eixos, sendo dois direcionais para viabilizar uma carroçaria de aproximadamente 8,10m de comprimento, suficiente para acomodar 14 paletes em três compartimentos distintos. Os eixos deveriam ter capacidade suficiente para suportar uma carga líquida total de 12.000kg, de itens de alto valor agregado, para atender a lei da balança (ter um peso bruto total legal de 29.000kg). Uma preocupação era a de manter uma margem de segurança dentro da capacidade de carga para proporcionar durabilidade aos componentes, especialmente da direção e suspensão, em razão do chassi receber uma carroçaria e cabine com aço balístico nível três. “Um caminhão nesse tipo de trabalho não pode quebrar. Para rodar com o peso dessa cabine blindada são necessários chassis de maior robustez, uma característica consagrada da Scania. A marca impressionou o cliente com a capacidade dos eixos dianteiros e traseiros”, salienta Mendonça.  
A cabine original foi retirada para a instalação de outra já blindada, que preservou ao máximo as características Scania. Para isso, foram aproveitados grade dianteira, painel de instrumentos, assentos do motorista e passageiro, entre outros. A nova cabine recebeu aberturas no assoalho, para proporcionar a manutenção do trem de força, e também recebeu um degrau de acesso traseiro. O que também chamou a atenção da empresa foi a suspensão a ar traseira de série (única do segmento), que facilita o carregamento e o descarregamento, pois oferece quatro módulos de altura para ajuste a diversos tipos de embarque. Para agilizar o serviço, uma plataforma elevatória foi adicionada para facilitar o ingresso de empilhadeiras.

Bons resultados
Desde quando iniciou suas operações em transporte de valores, a Esquadra realizou operações na Região Sudeste com sinistralidade zero, o que corresponde a mais de R$ 300 milhões em cargas de alto valor transportadas no período, sem nenhuma ocorrência de sinistro. No segmento de transporte de valores, a Esquadra obteve um crescimento de 30% no número de clientes desde quando iniciou suas operações. 
Dados da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística indicam que o Brasil chega a perder por ano cerca de R$ 1 bilhão com o roubo de cargas. Somente em 2014, foram registrados 17,5 mil roubos, número 42% maior do que em 2010 (12,3 mil).  E segundo a Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de Minas Gerais (Fetcemg) a ação de quadrilhas especializadas em roubo de cargas no estado causou, em 2015, prejuízo de R$ 212 milhões.  
Com a aquisição dos modelos Scania, a Esquadra soma 60 caminhões-forte. Só em 2015, a empresa adquiriu 25 caminhões com investimento de R$ 10 milhões. Essa frota tem capacidade instalada para até cinco anos. Além do transporte de dinheiro, os veículos são utilizados para carregar mercadorias com alto valor agregado como telefones, notebooks, medicamentos, cigarros e componentes eletrônicos. 
Mesmo com o cenário econômico desfavorável, a Esquadra contabiliza bons resultados em 2015. No ano passado, a empresa registrou um crescimento de 40% ante 2014, com faturamento de R$ 295 milhões. Neste ano, a expectativa é um resultado de R$ 350 milhões. O que impulsionou o crescimento e a consolidação dos bons números no ano passado foi o transporte de valores. “Apesar de ser um mercado muito fechado, em que as multinacionais predominam, nós somos uma novidade e temos o diferencial de atuar em cinco segmentos”, explica Marcos Vinícius Ferreira, um dos sócios da Esquadra.  
De acordo com Marcos Vinícius, a Esquadra tem focado em sua própria carteira de clientes para chegar aos resultados planejados. A empresa presta serviço para bancos, indústrias, supermercados e redes de varejo. “Em janeiro deste ano, contratamos mais 15 pessoas em nossa área comercial para focar na carteira de clientes oferecendo todo o escopo dos nossos serviços”, afirma o sócio.  
FONTE: Scania 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário