Caminhão Iveco movido a GNV é usado pela CNH Industrial na fábrica de Sorocaba

Na fábrica, o veículo substitui um caminhão movido a diesel de mesmo PBT, 17 toneladas, e deverá percorrer cerca de 300 Km por mês. Além disso, irá conduzir itens para o abastecimento do Centro de Distribuição e Peças, bem como fazer o fluxo de envio de kits FI, que são conjuntos de peças específicas para cada máquina, para a expedição.
Comparado com veículos movidos a diesel, o Iveco Tector GNV têm inúmeras vantagens. Segundo o engenheiro de produto responsável pela área de Inovação da Iveco, Fábio Nicora, o caminhão gera uma redução de 86% de NOx, 77% de partículas e 25% de CO2, bem como possibilita uma otimização de cerca de 20% do custo operacional.
O veículo tem um sistema de armazenamento com capacidade total de 126 m³ de combustível, o que possibilita que uma autonomia de até 300 Km, com o tanque cheio e dependendo da aplicação. Com motor NEF 6 Ciclo Otto GNV, de seis cilindros de alta pressão, fabricado pela FPT Industrial, o caminhão desenvolve 200 cv de potência e torque de 650 Nm, atendendo ao padrão europeu de emissões EEV e com baixos níveis de ruídos e vibrações.
Além do gás natural, o Tector pode ser abastecido por biometano, produzido a partir da transformação de resíduos orgânicos em gás, permitindo uma redução ainda maior das emissões de poluentes e, de consequência, o  impacto no meio ambiente.

Excelência internacional
A CNH Industrial, pela sua marca Iveco, é protagonista há 26 anos na tecnologia GNV. A expertise na utilização de combustíveis alternativos é um dos pontos fortes da operação da Iveco na Europa, com uma frota de aproximadamente 14 mil veículos movido a Gás Natural Veicular. "Essa experiência nos ajuda a coletar mais dados de operação e entender a viabilidade econômica e técnica em aplicações diferentes", afirma Nicora.
No Brasil, os testes do GNV tiveram início em 2011, quando a empresa, em parceria com algumas entidades, colocou o caminhão para rodar. O Tector, por exemplo, foi utilizado em uma parceria com a Coca Cola, em Belo Horizonte, por mais de um ano, que incluiu o período da Copa da Confederações, em 2013, e da Copa do Mundo da FIFA 2014.
A iniciativa da CNH Industrial, em promover a sustentabilidade com veículo movido a GNV em seu processo produtivo, segue tendência mundial, de acordo com Leonardo Ferreira, responsável pela área de Serviços de Contratos de Logística da Iveco. “A empresa investe na tecnologia, pois acredita que é cada vez mais necessário oferecer soluções menos poluentes e com mais economia operacional. Esse é apenas o primeiro passo na implementação desse modelo nas unidades da CNH Industrial e para inaugurar a ação foi escolhida a planta de Sorocaba. O projeto é sustentável, consciente e importante, pois substitui o diesel por um combustível alternativo”, conclui.
FONTE: Iveco 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário