BR Aviation abastece com diesel verde caminhões que operam no aeroporto Galeão

Vibra/Divulgação

Iniciativa tem potencial para reduzir as emissões de gases de efeito estufa em até 14 toneladas por ano 

Google News
Com o objetivo de liderar a transição energética no Brasil, a BR Aviation (unidade de negócios para serviços de abastecimento de aeronaves e atividades no segmento aéreo da Vibra e uma marca licenciada da Petrobras) começou a abastecer os caminhões da que atuam no Aeroporto Internacional Galeão/Tom Jobim, no Rio de Janeiro, com diesel HVO (sigla em inglês para Óleo Vegetal Hidrotratado ou diesel verde). 


A iniciativa que vem sendo implementada de forma gradativa desde dezembro de 2022, é uma aposta para reduzir emissões de gases de efeito estufa. Para isso, os veículos de carga agora circulam com 10% de diesel verde (HVO) na composição, em adição ao percentual de biodiesel definido pela regulação nacional, hoje de 10%.

A perspectiva é que, gradualmente, haja um aumento do percentual de diesel verde ao longo dos anos e, com isso, uma maior redução de emissões na operação dos veículos. O HVO também se destaca em relação a outras soluções de descarbonização por poder ser misturado e até mesmo substituir o diesel de origem fóssil, de forma integral e imediata, sem necessidade de adaptações. O HVO já vem sendo utilizado na Europa e Estados Unidos em escala comercial e é uma grande promessa como fonte de energia limpa para o transporte de carga.


De origem 100% renovável e produzido por meio do processamento de matéria-prima renovável, como óleo vegetal, o diesel verde é capaz de reduzir as emissões de carbono em quase 90%, quando comparado ao diesel fóssil, posicionando-se assim como uma das alternativas mais promissoras para a transição energética.

Ao adotar 10% de HVO na mistura do combustível utilizado pelos 15 caminhões da frota do aeroporto do Galeão, deixaremos de emitir 14 toneladas de gases de efeito estufa no ar por ano. Estamos desenvolvendo várias frentes que certamente irão colocar a VIBRA / BR Aviation como protagonista numa economia de baixo carbono)”, explica Rodrigo Mota, diretor de aviação da Vibra.

Segundo a Vibra, 7 árvores captam cerca de uma tonelada de carbono ao longo de 20 anos. Dessa forma, as 14 toneladas seriam o equivalente ao ciclo de vida de 100 árvores. Outra forma de comparação é a retirada de 5 veículos leves de circulação por ano, considerando que em média um veículo roda 15.000 km (com rendimento de 10 km/l de gasolina).


A expectativa da companhia é de que após a avaliação dos resultados das operações no Aeroporto do Galeão, o uso do diesel HVO também seja expandido para outras aplicações da própria Vibra.

A partir de 2025, a Vibra será offtaker da primeira biorrefinaria do Brasil dedicada à produção de HVO. A planta, localizada em Manaus, terá capacidade de produzir até 500 mil toneladas de combustíveis por ano e encontra-se em um ponto estratégico para a distribuição em toda a Região Norte do país.

A demanda por produtos ligados à descarbonização e à agenda ESG está cada vez mais elevada. Consideramos, em nossa estratégia, a ideia de um futuro baseado em economia de baixo carbono, por isso estamos comprometidos no desenvolvimento de negócios em energias renováveis e atuando em conjunto com fornecedores, clientes e parceiros”, destaca Mota.


Compromisso com a transição energética
A Vibra assumiu o compromisso de ser NET ZERO até 2025 para as emissões de escopo 1 e 2, com foco na redução de emissões de suas unidades operacionais e administrativas. A empresa se mantém atenta e antecipa-se para oferecer a melhor energia para seus clientes, acompanhando a evolução e disponibilidade de processos que possam ser alimentados por fontes energéticas mais limpas e renováveis. Por isso, passou a atuar em novos mercados, como energia elétrica e eletromobilidade, aumentou sua atuação no mercado de etanol e fechou parcerias estratégicas para a comercialização de diesel verde.

Vibra/Divulgação

Postar um comentário

0 Comentários