Executivo reforça a importância da sinalização rodoviária na prevenção de acidentes

BNDES/Divulgação

Apesar de ser um item essencial para a segurança viária brasileira, ainda precisa melhorar, aponta executivo do transporte de cargas

Google News
No ano de 2021, a Confederação Nacional do Transporte (CNT) realizou uma pesquisa em que avaliou 109.103 quilômetros de estradas pavimentadas, tanto federais quanto estaduais. Dessa quantidade, 61,8% da malha rodoviária brasileira foram classificadas como regular, ruim ou péssima.

Ainda de acordo com a pesquisa, a qualidade da sinalização nas rodovias mantidas pela União em 2021 voltou ao mesmo nível de 2014, quando tínhamos 63,1% de toda a malha rodoviária brasileira apresentando problemas.

A sinalização não é um elemento que deve ser ignorado. Ela serve como um dos principais parâmetros para definir se uma estrada é segura para se dirigir ou se ela requer mais atenção do motorista para rodar.

Isso se confirma por meio de números evidenciados também pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). Segundo o estudo, mesmo que uma estrada possua bom pavimento, o risco de morte sobe para 47% se sua sinalização horizontal, como faixas e sinais marcados no asfalto para guiar o motorista, não for satisfatória.
 

O diretor da Zorzin Logística e do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do ABC (Setrans), Marcel Zorzin, comenta que a sinalização deve ser vista como um item de suma importância para a manutenção da segurança nas estradas brasileiras.

Segundo ele, “não adianta falar em segurança viária só pensando na velocidade. Devemos investir em um trânsito mais inteligente, com placas interativas para orientar sobre mudança de faixa ou de obras ou até mesmo para indicar a melhor forma de descer em um trecho sinuoso, por exemplo”.

Marcel ainda comenta que anda muito no rodoanel pelo fato de ter clientes em torno de todo o anel rodoviário e afirma que as condições das sinalizações horizontais e verticais (placas de sinalização colocadas ao lado da pista ou sobre ela) podem ser classificadas como ruins.


De acordo com o empresário, as empresas de concessões investem bastante em pavimentação, mas não em sinalização, o que dificulta no momento da condução de um veículo pesado, quando o motorista precisa estar 100% focado na pista para não ocasionar um acidente.
 
Como diretor de sindicato, costumo levar muito essa pauta e debater com os outros integrantes da entidade, e passamos essas informações para que a federação se comunique diretamente com o estado, que é o dono da concessão, para ver se ajudamos de alguma forma”, comenta Marcel.

O executivo diz que é necessário investimento e comprometimento para que haja uma mudança real na infraestrutura da sinalização nas rodovias brasileiras. Ele enxerga que mesmo a Bandeirantes, por exemplo, é considerada uma das melhores estradas do Brasil, mas ainda tem muito o que melhorar para termos um trânsito realmente seguro.

FONTE: Divulgação

Postar um comentário

0 Comentários