Facchini

Randon New R

Construsinos tem dez escavadeiras em operações no Rio Grande do Sul

Link-Belt/Divulgação

Sendo que duas estão atendendo obras de macrodrenagem e drenagem das prefeituras de São Leopoldo e Esteio

Google News
Dez escavadeiras da Link-Belt estão em operação em obras públicas e privadas no Estado do Rio Grande do Sul, por intermédio da empresa gaúcha Construsinos. Em dois anos, foram adquiridas dez máquinas para atender alta demanda de trabalho na região. A primeira aquisição foi uma 180X3E, escolhida por ser um modelo econômico e potente. Atualmente a frota é composta por cinco escavadeiras 210X3E, uma 160X2, duas 80 Spin Ace e uma 300X3E.

Nas operações de macrodrenagem da Prefeitura de São Leopoldo está alocada uma máquina 210X3E, que atua na limpeza da rede pluvial e galerias, bem como manutenção de passeios, tais como calçada pública, meio-fio, ciclovia e rampas de acesso. Enquanto isso, uma escavadeira 80 Spin Ace, recém-adquirida, atua em obras de drenagem para a Prefeitura Municipal de Esteio. Os municípios de São Leopoldo e de Esteio pertencem à Região Metropolitana de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul.


Há 35 anos atuando em São Leopoldo, nas áreas de saneamento, construção civil e loteamentos, desde terraplenagem até a instalação do sistema de drenagem e pavimentação, além da fabricação de estruturas de drenagem, a Construsinos Indústria e Comércio de Artefatos de Cimento conheceu as escavadeiras hidráulicas Link-Belt em 2020. Desde então, dez máquinas foram adquiridas e todas estão em campo. "As áreas de atuação da empresa necessitam de equipamentos potentes e econômicos. A Link-Belt atende essa necessidade”, justifica o engenheiro Civil responsável, Tiago Luis da Silva. A versatilidade da marca também é um diferencial. O engenheiro afirma que o desempenho da 300X3E tanto na macrodrenagem quanto na extração de brita na pedreira da Construsinos, em Capela Santana, é impecável. O sistema hidráulico da série X3E é controlado eletronicamente e isso reduz o consumo de combustível por meio da combinação de tecnologias de última geração, que diferenciam a linha.

As três escavadeiras 210X3E atuam em cidades diferentes: uma na rede de drenagem na cidade de Campo Bom, outra na terraplanagem de um condomínio em São Leopoldo e a terceira está alocada em um centro logístico, na cidade de Guaíba.

Em Canoas, a Construsinos aloca uma escavadeira 180X3E para terraplanagem, enquanto em Nova Santa Rita, um trabalho semelhante é executado com a 160X2. A atuação da empresa alcançou também Novo Hamburgo, com a 80 Spin Ace alocada em uma obra de drenagem.


A escolha da marca, segundo o engenheiro, foi graças ao melhor custo-benefício do mercado: menor consumo de combustível nas operações da Construsinos, segurança, conforto para o operador e robustez das máquinas. “Além disso, temos muita confiança no pós-vendas da DYN Máquinas, distribuidor Link-Belt no Rio Grande do Sul. Contamos com a orientação e apoio total do distribuidor para as manutenções preventivas das máquinas, o que diminui absurdamente a necessidade de manutenções corretivas nas escavadeiras”, pontua o engenheiro.

Paralelamente, a Construsinos fabrica tubos e aduelas de concreto, chamados de galerias, materiais e artefatos utilizados para os sistemas de drenagem e redes de esgoto. Por isso, uma escavadeira 210X3E trabalha tanto no assentamento de peças dentro das valas, quanto na escavação e no reaterro. Tiago explica que as peças pesam de seis a sete toneladas e as escavadeiras da Link-Belt oferecem alta potência exigida neste procedimento.

FONTE: Divulgação

NOTÍCIA ANTERIOR PRÓXIMA NOTÍCIA