Inteligência artificial evita mais de R$ 234 milhões de prejuízos no transporte de cargas

Divulgação

Com tecnologia de inteligência artificial, BuonnyCheck já identificou mais de 340 clonadores, que se passavam por motoristas idôneos

Google News
Um dos problemas que o transporte de cargas tem, atualmente, é o número crescente de falsos motoristas, que se apropriam de documentos perdidos, furtados ou roubados e passam por profissionais idôneos para, então, desviar cargas.

Diante disso, a Buonny, gerenciadora de riscos, implementou tecnologia de reconhecimento facial em sua solução BuonnyCheck, que identifica se os motoristas são realmente eles mesmos.


A tecnologia já evitou mais de 1400 sinistros e um total de R$ 234 milhões em prejuízos e mais de 340 clonadores identificados, desde 2019.

“Isso significa que, se o gerenciamento de riscos não interviesse, mais criminosos estariam comemorando seus roubos pelo país e, logicamente, empresas seriam muito prejudicadas”, diz Eliel Fernandes, CEO da Buonny.

Como o cadastro funciona?
O cadastro consulta e analisa a exposição aos riscos das viagens e estabelece o perfil adequado a cada tipo de embarque, com base no cruzamento de informações sobre a carga, o veículo e o profissional, proporcionando maior segurança e agilidade da operação.

As soluções são totalmente adaptadas para a Lei Geral da Proteção de Dados (LGPD); inclusive, a Buonny tem uma aplicação web exclusiva para auxiliar clientes no tratamento adequado aos dados pessoais dos profissionais consultados.

FONTE: Divulgação

Postar um comentário

0 Comentários