Produção de caminhões cresce no primeiro trimestre de 2022

Volvo/Divulgação

Mais de 34 mil caminhões já foram produzidos em todo o país nos três primeiros meses do ano; ANFAVEA também vê com bons olhos o Programa de Renovação de Frota

Google News
A produção brasileira de caminhões encerrou o primeiro trimestre de 2022 registrando crescimento em todos os indicadores. A informação é confirmada pela Associação Nacional dos Fabricantes de Autoveículos (ANFAVEA).

De acordo com o balanço oficial da entidade, 34,4 mil caminhões foram produzidos em todo o país de janeiro a março deste ano, crescimento de 3,9% em relação ao mesmo período de 2020, quando 33,1 mil unidades haviam sido montadas. 


Somente no mês de março, 13,5 mil caminhões foram produzidos em todo o país, alta de 18,8% em relação ao mês anterior, fevereiro, quando foram montados 11,4 mil exemplares. Já em relação a março de 2021, quando a indústria foi responsável pela produção de 12,5 mil caminhões, o setor registrou um crescimento de 8,5%.

Programa de renovação de frota (RENOVAR)
Batizado de RENOVAR, o Programa de Renovação de Frota instituído pelo Governo Federal por meio da Medida Provisória (MP) nº 1.112, publicada no Diário Oficial da União (DOU) do dia 1º de abril, é visto como uma medida positiva pela ANFAVEA.


“Esse decreto, mais que uma vitória para o setor automotivo, é uma conquista para os caminhoneiros e para toda a sociedade, já que temos uma frota de caminhões com idade média superior a 20 anos. Desde que o Proconve foi instituído em meados dos anos 80, esse tema da renovação de frota tem sido uma pauta histórica da ANFAVEA, no sentido de complementar os esforços dos fabricantes para redução das emissões de poluentes e de gases de efeito estufa, sem falar da questão crucial da segurança no trânsito”, destacou. Luiz Carlos Moraes, Presidente da ANFAVEA.

“Ainda estamos aguardando o decreto que regulamentará os valores e toda a parte operacional e legal do Programa Renovar para avaliar os impactos, mas sem dúvida ele desempenhará um papel significativo no âmbito social, permitindo a caminhoneiros autônomos a oportunidade de trocar seu veículo com ganhos de produtividade. Será sem dúvida um passo importante para o transporte de carga no país”, complementou Marco Saltini, Vice-Presidente da ANFAVEA.


Postar um comentário

0 Comentários