200 toneladas: Suzano coloca em operação 14 novos hexatrens combinados com Volvo FMX

Volvo/Divulgação

200 toneladas de carga, 54 metros de comprimento, 58 pneus e rodas, 15 eixos, 6 semirreboques e apenas 1 cavalo mecânico, esses são alguns números expressivos de cada conjunto que começa a operar na Bahia neste mês

Sucesso incontestável no segmento florestal, os hexatrens segue conquistando um espaço significativo nas operações da Suzano, maior fabricante mundial de celulose de eucalipto. Nesta semana, a empresa colocou em operação 14 novos hexatrens tracionados por caminhões Volvo FMX. Resultado de um investimento com foco no aumento de produtividade, as novas composições de seis semirreboques passam a operar na unidade fabril de Mucuri, no extremo sul da Bahia.

Com 54 metros de comprimento e capacidade para transportar 200 toneladas de toras de eucalipto por viagem, as novas combinações de veículo de carga (CVC's) circulam apenas em estradas particulares dentro das fazendas de reflorestamento da empresa. Além disso, a nova fase no município baiano marca a continuidade da jornada de aumento da eficiência no transporte de madeira utilizando hexatrens, iniciada pela Suzano em 2019 na fábrica de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, onde outros 19 conjuntos já operam.

“Não tenho dúvida de que repetiremos o sucesso conseguido no MS. O ganho de produtividade de um hexatrem frente a um pentatrem alcança perto de 30% e quase 130% na comparação com um tritrem. Podemos transportar mais volume em menos tempo, com a mesma segurança e ainda tendo ganhos ambientais e operacionais”, declara Alberto Vieira, gerente executivo de logística e colheita da Suzano na Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo.


“O FMX adquirido pela Suzano tem características especiais e foi customizado para essa operação, fazendo dele o caminhão ideal para movimentação de grandes quantidades de madeira. É um caminhão para operações severas, muito robusto, seguro e com baixo consumo de combustível”, afirma Alcides Cavalcanti, diretor executivo de caminhões da Volvo. Ainda segundo o executivo, os modelos contam com chassi extremamente reforçado, motor de 540 cv e transmissão eletrônica I-Shift com 14 marchas (duas super reduzidas), além de eixos traseiros com altíssima capacidade de tração.

Desenvolvido especialmente para operações ambientes desafiadores e topografias irregulares, o Volvo FMX é um dos grandes sucessos comerciais da marca, especialmente nos setores sucroalcooleiro, mineração e florestal. “É um veículo extremamente robusto e ao mesmo tempo tem um alto grau de tecnologia embarcada, o que proporciona grande disponibilidade e mais rentabilidade ao negócio do transportador”, diz Carlos Paulin, gerente comercial de caminhões vocacionais da Volvo.

Volvo/Divulgação

Postar um comentário

0 Comentários