Estrela das Estradas


Casas Scania

IVECO A gente nao para

NTC&Logística alerta sobre grave situação enfrentada pelo transporte rodoviário de cargas no Brasil

Adobe Stock

Aumentos no preço do diesel, caminhões e implementos cada vez mais caros, juros em elevação e prazos de pagamento cada vez maiores estão reduzindo significativamente a capacidade de investimento do segmento

A Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística) divulgou nesta quarta-feira, 29 de setembro, uma nota oficial alertando sobre a grave situação que o setor está enfrentando e que vem se agravando a cada dia.

De acordo com entidade, nos últimos 15 meses, além dos inúmeros desafios gerados pela pandemia de Covid-19 (Coronavírus), o transporte rodoviário de cargas brasileiro vem sendo durante impactado por uma série de mudanças no cenário macroeconômico. Destaque para os significativos aumentos de preço dos principais itens que formam o custo das operações, como por exemplo, o óleo diesel que passou a representar 49,7% das despesas diretas; a taxa de juros básica (SELIC) que evoluiu de 2% para 8,5% (projeção para outubro/21); os spreads bancários que foram elevados em 2%; os preços dos caminhões e implementos que aumentaram mais de 50%; e a inflação setorial que superou a casa dos 30%.


Ainda segundo a NTC&Logística, além destes fatores, o aumento nos prazos de pagamentos, somado aos BID’s frequentes, enquanto os custos da atividade são pagos imediatamente (diesel, pedágios, mão de obra, entre outros), agravam ainda mais a situação do setor. 

"A prática de prazos longos vai no sentido oposto à racionalidade dos custos logísticos, já que são sustentados pelos transportadores, que têm menos acesso ao crédito, arcando ainda, com taxas reconhecidamente elevadas. Este modelo transfere para os transportadores o ônus de financiamento das vendas, além do elevado custo dos investimentos." afirma a entidade no documento.

A combinação de todos estes fatores acarretou uma redução substancial na capacidade de investimento do setor, uma vez que, a elevação dos preços dos ativos e do custo de capital, esbarra nas margens de lucro historicamente baixas.


Para contornar a situação e garantir a continuidade da prestação de serviços dentro de padrões de sustentabilidade e ética, a NTC&Logística listou no documento cinco importantes recomendações para o setor. São elas:

• que procurem adequar os prazos de pagamento de seus serviços aos ciclos financeiros efetivos das operações. As referências legais preveem sempre o pagamento de fretes à vista;

• incorporarem na formação de seus preços, itens de custo real de financiamento, que viabilizem no médio prazo a renovação das frotas;

• ao contratarem serviços, considerarem garantias de produtividade, como meio de compensar a perda econômica decorrente de eventuais fatores externos, não previstos;

• que incluam nos contratos de prestação de serviços, cláusula estabelecendo recomposição imediata das tarifas em função da variação do preço do diesel.

Por fim a entidade ressalta que "A logística só será eficiente se houver um relacionamento justo e equilibrado entre os embarcadores e os operadores do sistema".

Confira na íntegra a nota da NTC&Logística: CLIQUE AQUI


Postar um comentário

0 Comentários