IVECO A gente nao para

Grupo Toniato adquire 89 caminhões Mercedes-Benz

Mercedes-Benz/Divulgação

Cerca de 80% dos mais de 540 caminhões do Grupo Toniato são da marca Mercedes-Benz

Cumprindo com o programa de renovação e ampliação de frota, o Grupo Toniato investiu na aquisição de 89 caminhões Mercedes-Benz, sendo, 37 extrapesados Axor 2536 6x2 e mais 52 semipesados Atego, entre modelos 1719, 2426 6x2 e 3030 8x2.

Conduzido pelos concessionários De Nigris Distribuidora (SP) e Flumidiesel de Barra Mansa (RJ), o negócio contou com 100% de financiamento através do Banco Mercedes-Benz. Além disso, todas as unidades já foram entregues e encontram-se em operação, ampliando para cerca de 80% a participação da marca na frota da transportadora.

“Essa renovação e ampliação de frota visa atender os contratos atuais e também o objetivo de crescimento da nossa empresa”, diz André Façanha, CEO do Grupo Toniato. “Com essa aquisição, nossa frota gira agora em torno de 540 caminhões próprios, sendo mais de 440 Mercedes-Benz, entre modelos Accelo, Atego e Axor”.

De acordo com a transportadora, a Mercedes-Benz é marca padrão entre a frota de caminhões leves e médios, com destaque para a predominância da linha Accelo 1016. Na categoria de médios e semipesados, destacam-se os modelos Atego 1719, o 2426 6x2 e o 3030 8x2.

“Nossa preferência pelos Mercedes-Benz nessas duas categorias deve-se a um conjunto de fatores: qualidade dos caminhões, custo de manutenção, média de consumo, conforto para os motoristas, tecnologia e valor de revenda. As análises de todos esses indicadores apontaram para o Accelo e o Atego”, afirma André Façanha.


Axor 2536 foi um divisor de águas da marca na frota
“Em 2019, a marca Mercedes-Benz também começou a participar mais intensamente da nossa frota de pesados”, ressalta o cliente. “Depois de conhecer, experimentar e aprovar o cavalo mecânico Axor 2536 6x2 em nossas operações, adquirimos mais de 100 unidades do modelo para renovação e ampliação de frota”.

“O Axor 2536 6x2 foi um divisor de águas da marca na nossa frota, devido à tecnologia embarcada, média de consumo, custo de manutenção, além da aprovação dos nossos motoristas em relação ao conforto. Hoje, o custo/benefício do Axor nos faz considerar a Mercedes-Benz para nossos caminhões pesados. Estamos muito satisfeitos com os resultados que o Axor traz para nossas operações. Este é um investimento que nos traz bastante segurança”, afirma André Façanha.

“Ouvindo as estradas, as empresas de transporte e os motoristas, sempre trazemos soluções para novas demandas dos clientes e do mercado”, diz Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas e Marketing Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “O Axor é um grande exemplo, uma linha de caminhões que evoluiu muito nos últimos anos. São mais de 60 novidades desde 2016, ligadas à economia no consumo, otimização dos custos operacionais, desempenho, conforto e segurança. A aprovação do Grupo Toniato, que é bastante profissional em suas avaliações, mostra que nossos clientes notaram essa evolução. Isso nos motiva a seguir buscando novas soluções que tragam mais eficiência, produtividade e rentabilidade a suas operações de transporte”.

Segundo Roberto Leoncini, a negociação com o Grupo Toniato chegou a bom termo devido ao planejamento executado pelo cliente, que se programou com antecedência para contar com os novos caminhões Mercedes-Benz, de acordo com o seu plano de renovação anual de frota, mesmo considerando as dificuldades impostas pela pandemia.


Sobre o Grupo Toniato
Com 47 anos de atividades, o Grupo Toniato atua fortemente em todos os estados que compõem as regiões Sudeste e do Sul do Brasil. Com expansão recente para o Centro-Oeste, onde irá inaugurar novas unidades ainda este ano em Dourados (MS) e Rio Verde (GO). Atualmente a empresa conta com mais de 20 unidades.

Referência no atendimento aos clientes que atuam nos segmentos químico, agroquímico, tintas, esmaltes e vernizes, líquidos e gases, automotivo e outros mercados que exijam especialização, o Grupo Toniato conta com três linhas de negócios que se interagem estrategicamente: transporte, logística e engenharia.

“Mesmo em plena pandemia, registramos, no primeiro semestre deste ano, um volume de 130.000 toneladas de cargas movimentadas a mais do que em 2020”, informa Luiz Adão. “Não sentimos impactos importantes durante a pandemia porque atendemos principalmente clientes dos setores químico e do agronegócio, que foram menos afetados na pandemia, tanto no ano passado, como agora”.

Mercedes-Benz/Divulgação

Postar um comentário

0 Comentários