Governo Federal recupera mais de 190 quilômetros de pista da BR-163/PA em 2020

DNIT/Divulgação
O Governo Federal, por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) finalizou, neste mês de outubro, a recuperação de 190,34 quilômetros de pista na BR-163/PA, no Estado do Pará. Atualmente a rodovia é um dos principais corredores do agronegócio, ligando as lavouras do Mato Grosso aos portos de Miritituba (PA).

Ao todo o Governo Federal investiu R$ 115.773.549 em três contratos vigentes de recuperação ao longo da rodovia No primeiro, com 102,3 quilômetros de extensão e cortando os municípios de Altamira e Novo Progresso, 45,30 quilômetros foram executados em 2020. No ano passado, outros 57 km já haviam sido feitos no trecho.

O segundo tem uma extensão total de 117,14 quilômetros, e passa pelos distritos de Três Bueiras e Aruri, no município de Trairão, além de cortar o município de Itaituba/PA. Em 2020, as equipes do DNIT recuperaram 100,10 quilômetros - em 2019 foram 17,4 km.

O último contrato, o único ainda em andamento, conta com 138,20 quilômetros de extensão e passa pelos distritos de Castelo dos Sonhos e Cachoeira da Serra, do município de Altamira/PA. Desse total, 44,94 quilômetros foram executados neste ano e 24,40 km em 2019. A previsão é finalizar os 68,86 km restantes em 2021.


Os trabalhos na rodovia federal não se resumem apenas à repavimentação. Os serviços também incluíram a reciclagem e recuperação da base da rodovia, tratamento dos trechos de acostamento e recomposição das sinalizações horizontais e verticais.

Além dos benefícios para a economia da região, essas obras executadas pelo DNIT na rodovia federal dão mais segurança para aproximadamente seis mil caminhoneiros que trafegam por lá diariamente.

Manutenção em todo o estado do Pará
Os serviços de manutenção rodoviária não se concentram apenas na BR-163/PA. Atualmente 100% da malha rodoviária do estado paraense está coberta por contratos de manutenção. O objetivo da Autarquia é assegurar boas condições de trafegabilidade para os usuários.

DNIT/Divulgação
Com informações:
DNIT

Postar um comentário

0 Comentários