Marcopolo amplia soluções de biossegurança para ônibus urbanos e micro-ônibus

Gelson Mello da Costa/Marcopolo
A Marcopolo apresenta esta semana suas novas soluções BioSafe desenvolvidas para o segmento de ônibus urbanos (desde micro-ônibus até biarticulados), um dos mais afetados pela pandemia do novo coronavírus. As inovações visam garantir a segurança no transporte coletivo, preservar a saúde dos passageiros que precisam se locomover e colaborar para evitar contaminação da covid-19 e outros vírus e bactérias.

Entre as novas soluções desenvolvidas especialmente para o transporte urbano destacam-se o controlador de acesso com reconhecimento facial, tapetes sanitizantes, poltronas, balaústres e pega-mãos com acabamentos antimicrobianos, dispositivo para as janelas que aumenta a renovação do ar e configuração interna para distanciamento de passageiros. As tecnologias ampliam ainda mais o portfólio de Marcopolo BioSafe que já disponha das soluções de desinfecção do ar-condicionado com luz ultravioleta (UV-C), kit de proteção para motorista e cobrador, cortinas antimicrobianas, sanitário com desinfecção por luz ultravioleta (UV-C), dispensers de álcool em gel, e FIP Onboard para desinfecção de superfícies do salão de passageiros, bagageiros e postos do motorista e cobrador.

“Com a pandemia do novo coronavírus, o transporte coletivo urbano passou, erroneamente, a ser considerado um dos “gargalos” para conter a contaminação.  Essas novas soluções BioSafe visam elevar ainda mais o padrão de segurança do transporte e proporcionam a tranquilidade e bem-estar dos usuários na retomada das atividades”, destaca Rodrigo Pikussa, diretor do Negócio Ônibus da Marcopolo.
Gelson Mello da Costa/Marcopolo
Novas soluções Marcopolo BioSafe para urbanos
O controlador de acesso com reconhecimento facial é um totem que pode ser instalado na entrada do veículo e em terminais de transporte que possui câmera para medição da temperatura do passageiro e verificação do uso da máscara de proteção. Os tapetes sanitizantes, umedecidos com produto para desinfecção, contribuem para a higienização dos calçados dos passageiros no acesso ao veículo, garantindo um ambiente mais limpo e seguro. 

Em razão do grande fluxo de pessoas ao longo das viagens e trajetos das linhas urbanas, a Marcopolo desenvolveu poltronas, balaústres e pega-mãos com acabamentos antimicrobianos para garantir a desinfecção dos locais de contato das mãos e reduzir os riscos de contaminação por vírus e bactérias. Os aditivos antimicrobianos são incorporados ao produto durante o processo de fabricação e têm nanopartículas que liberam íons capazes de destruir a membrana celular de micro-organismos, eliminando micróbios.


Ar renovado a cada três minutos
Para ampliar ainda mais a renovação de ar no interior do ônibus, que segundo estudo conduzido em conjunto com a Universidade de Caxias do Sul demonstrou ser maior que a apresentada em outros ambientes comerciais, a Marcopolo desenvolveu um dispositivo que, instalado nas janelas laterais superiores, permite a maior captação de ar, mesmo se os passageiros fecharem as janelas corrediças, fato muito comum em dias frios ou chuvosos, garantindo mais eficiência na circulação interna do ar, que é totalmente renovado a cada três minutos. Outra solução exclusiva para os modelos de ônibus urbanos é a configuração para distanciamento de passageiros, realizado por adesivos instalados no assoalho do veículo que indicam a distância segura entre os passageiros que estiverem em pé.

Todas essas tecnologias se juntam às já à disposição do mercado, como o kit de proteção de motorista e cobrador, um sistema de divisórias que funciona como uma barreira de proteção para esses profissionais, dispensers de álcool em gel, sistema de desinfecção do ar-condicionado com UV-C e o FIP Onboard para desinfecção de superfícies, névoa seca com nanopartículas que cobre 100% das superfícies internas do ônibus e evita a proliferação de vírus e bactérias. 

O portfólio de soluções Marcopolo BioSafe está disponível para os todos os modelos de veículos Marcopolo, Volare e Neobus que podem ser adquiridos por prefeituras, secretarias de transporte e operadores de transportes de todo o País. As tecnologias podem ser instaladas separadamente também nos ônibus já em circulação. Todas foram testadas e aprovadas pelo Laboratório de Microbiologia da Universidade de Caxias do Sul:

Controlador de acesso com reconhecimento facial: totem instalado na entrada do veículo com câmera que verifica se o passageiro está usando máscara e mede a sua temperatura.

Dispenser de álcool em gel: instalado na entrada do veículo, com capacidade para até 500 aplicações, para higienização das mãos dos passageiros.

Tapetes sanitizantes: umedecidos com produto para desinfecção, contribuem para a higienização dos calçados dos passageiros no acesso ao veículo.

Poltronas e pega-mãos com acabamentos antimicrobianos: incorporados ao produto no seu processo de fabricação, os aditivos antimicrobianos têm nanopartículas que liberam íons capazes de destruir a membrana celular de micro-organismos.

Distanciamento de passageiros: adesivos instalados no assoalho do veículo indicam a distância segura entre os passageiros em pé.

Desinfecção do ar-condicionado com UV-C: a radiação ultravioleta UV-C promove a desinfecção do ar em circulação no interior e nas superfícies dos veículos. É eficaz na inativação do material genético de vírus e bactérias.

Dispositivo para aumento da renovação do ar: permite a maior captação de ar externo, mesmo em situações de janelas fechadas, garantindo circulação de ar mais eficiente.

Kit de proteção para motorista e cobrador: barreira de vidro, que pode ser adaptada e instalada em diferentes carrocerias. É de fácil limpeza e higienização. Outra opção é a instalação de cortinas antimicrobianas, que utilizam tecnologia hospitalar para evitar a proliferação de fungos e bactérias, desde que haja higienização adequada no interior do veículo.

FIP Onboard para desinfecção de superfícies: tecnologia inovadora usada para a desinfecção dos ônibus vazios. Trata-se de aplicação de uma névoa seca com nanopartículas que cobre 100% das superfícies e evita a proliferação de vírus e bactérias. Age sem deixar poltronas úmidas, evitando o desconforto dos passageiros, e sem interferir no funcionamento de equipamentos eletroeletrônicos do ônibus.
Gelson Mello da Costa/Marcopolo
FONTE: Marcopolo

Postar um comentário

0 Comentários