header ads


Campanha inédita estimula denúncias aos crimes de trânsito

Com o título “Não dê like, denuncie!”, a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) deu início à campanha inédita que visa estimular a população a denunciar os crimes de trânsito praticados por potenciais assassinos, que veiculam vídeos dirigindo em velocidades absurdas em rodovias e área urbana, praticando rachas, trafegando pelo acostamento, dentre outras infrações e crimes de trânsito.

A iniciativa conta com o apoio de várias entidades de vítimas, além de organizações dedicadas a segurança viária. Tudo ocorre no Maio Amarelo, mês dedicado ao tema.

Segundo a FenaPRF, a campanha foi estimulada por diversos casos de divulgação de crimes de trânsito como algo divertido no YouTube. A campanha composta por ações no âmbito digital e também uma ação judicial contra o YouTube, por manter no ar vídeos que violam as regras da própria plataforma.

A medida reforça o PL-130-2020 da deputada federal Christiane Yared, cujo filho e amigo foram assassinados por motorista em alta velocidade na cidade de Curitiba. O Projeto de Lei prevê a punição desses infratores e criminosos do trânsito, utilizando a legislação para suspender a CNH imediatamente.


Além disso, as plataformas como o Youtube, devem ser responsabilizadas por este conteúdo. Principalmente porque remuneram os youtubers com a publicidade que é veiculada nos seus canais. Alguns recebem mais de R$ 70.000,00 por mês em decorrência dos vídeos criminosos que postam regularmente.

De acordo com o coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto, o PL-130-2020 poderá entrar em vigor antes mesmo de sancionado, na medida que a sociedade denuncie esses maus brasileiros. “A campanha permite que as pessoas entendam como é simples tirar do ar esses vídeos e os canais desses criminosos. Mas também precisamos responsabilizar as plataformas, em particular no momento o Youtube que, apesar de ciente dos fatos, mantém os vídeos e canais no ar. Por isso a ação judicial da FenaPRF é fundamental e espero que os funcionários da multinacional também sejam responsabilizados. Eles sabem que esses vídeos provocam acidentes e mortes. São cúmplices indiretos.”

O combate ao estímulo e à publicidade de crimes de trânsito no YouTube pode ser denunciado. Veja como: CLIQUE AQUI
FONTE: Divulgação

Postar um comentário

0 Comentários