Fábrica da FPT fica ainda mais eficiente com ambientes digitais e intuitivos

FPT Industrial/Divulgação
Atualizações executadas na fábrica da FPT Industrial em Sete Lagoas (MG) elevaram ainda mais a eficiência produtiva reduzindo o desperdício humano e de materiais, com foco na segurança, conforto, ambientes digitais e intuitivos para os colaboradores. Os projetos implementados incluem o reposicionamento de estações de trabalho nas linhas de produção, com as melhores práticas ergonômicas, a digitalização do Compass Room, projeto piloto na América do Sul que integra diferentes áreas em ambiente 100% digital e o sequenciamento digital de kits de peças utilizados na montagem dos motores.
Certificada desde 2016 com o nível prata do World Class Manufacturing (WCM), um dos mais altos padrões da indústria de manufatura no mundo, a unidade produz os motores das famílias F1A, F1C, NEF e S8000, aplicados em veículos on-road, no transporte de cargas e passageiros, off-road, na agricultura e construção, e geradores de energia.
“Determinamos que o nosso propósito seja propiciar a melhor experiência de manufatura para os colaboradores, visitantes e clientes. Aplicamos as melhores práticas criando ambientes de trabalho cada vez mais produtivos e seguros. Entendemos que assim conseguiremos atingir a meta do nível ouro do WCM”, afirma o gerente de Operações da planta, Mario Coriale.
Situada no centro da fábrica, a Compass Room é a bússola estratégica da FPT Industrial em Sete Lagoas. Projeto piloto na América do Sul, a sala 100% digital integra diferentes áreas, facilitando o entendimento na execução de projetos para garantir resultados sustentáveis. “A grande vantagem dessa tecnologia é o acesso às informações. Conseguimos visualizar o trabalho de cada área, facilitando a análise e indicando projetos prioritários. O conceito moderno e intuitivo fornece autonomia para enxergar melhores ambientes e produtividade”, reforça o gerente de Operações.
Para sempre aprimorar os processos, a interligação entre as estações de trabalho das linhas de produção de motores é fundamental. Na mais recente etapa, foram reposicionados os layouts de cada estação, com as melhores práticas ergonômicas, permitindo que o colaborador esteja mais próximo de peças, ferramentas e utensílios. Graças à eliminação de riscos, a fábrica dispensa o uso de óculos de proteção, nas linhas de produção F1A e F1C, e de protetores acústicos em todo o ambiente de manufatura. “Melhorando a ergonomia, atacamos desperdícios muito comuns nos processos tradicionais. Reduzimos a carga emocional dos colaboradores simplificando os processos”, explica Coriale.
QUALIDADE DO INÍCIO AO FIM
O processo de montagem dos motores é monitorado por sistemas de controle automatizados de última geração do First Time Quality. Todos os motores são submetidos a testes de dinamômetro, atestando parâmetros de qualidade e potência. Nas salas do Banco de Provas, avaliações monitoram em tempo real aspectos de vibrações e temperatura.
As recentes atualizações também resultaram no sequenciamento digital dos kits de peças utilizados nas linhas de produção, com o uso de veículos de transporte autônomos (AGVs), e o reposicionamento da sala de Work Place Integration (WPI), onde as áreas de manufatura e engenharia trabalham em perfeita sintonia, apresentando ideias e sugestões para melhores práticas e a execução de novos projetos.
As melhorias permitiram que a unidade obtivesse um incremento de produtividade média de mais de 10% no último ano. Atualmente trabalham na fábrica cerca de 165 colaboradores, que auxiliam a FPT Industrial, marca de motores, eixos, transmissões e geradores de energia da CNH Industrial, a produzir um motor a cada quatro minutos.
“Quanto mais melhoramos a produtividade e a qualidade, eliminando desperdícios, menor será o custo de manufatura. A matriz das melhorias é o WCM, modelo que já está no DNA dos nossos colaboradores. Em cada estação de trabalho há soluções desenvolvidas pelo nosso time”, afirma o diretor Industrial da CNH Industrial, Izidro Penatti.
PADRÃO GLOBAL
O WCM da CNH Industrial rege a integração entre a gestão da fábrica e os processos de produção visando a segurança dos colaboradores, a eliminação dos desperdícios e perdas, a sustentabilidade e a melhoria contínua. Para certificar as melhorias, auditorias periódicas avaliam a pontuação de cada planta, em três níveis de desempenho: ouro, prata e bronze.
FONTE: FPT Industrial
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário