Ford apresenta Ranger 2020

Ford/Divulgação
A Ranger é um dos pilares da linha de produtos da Ford, a maior montadora de picapes do mundo. Como produto global, ela tem a vantagem de reunir características que superam os requisitos locais de desempenho e qualidade dos mais de 190 mercados onde é vendida.

O projeto da nova picape foi liderado pela Austrália, unindo a expertise dos times de design e engenharia da Ford do Brasil, Argentina, África do Sul, Tailândia, Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos. Além da fábrica de Pacheco, na Argentina, ela é produzida nos Estados Unidos, África do Sul e Tailândia.

Durante o seu desenvolvimento, a nova Ranger foi submetida aos testes mais severos de durabilidade. Ela rodou mais de 1,7 milhão de quilômetros de testes em ambientes rigorosos, da Suécia aos desertos da África, Dubai, Mojave e América do Sul, enfrentando temperaturas de -29ºC a mais de 50°C, índices de umidade de 90% e altitudes de 4.000 metros. O projeto incluiu ainda 30 mil avaliações virtuais.

Desde o início, a Ford ouviu o consumidor e teve como foco a evolução da picape em quatro áreas: desempenho balanceado, experiência do usuário, segurança e design. No total, ela teve mais de 600 componentes reprensados e redesenhados, que vão da suspensão e itens aerodinâmicos a sistemas deassistência ao motorista, melhorando um produto que já é muito bem avaliado pelos usuários.

Nova suspensão
A Ranger 2020 ganhou uma nova suspensão que melhora o controle de movimentação da carroceria e a dirigibilidade, aproveitando todo o curso do conjunto para oferecer maior conforto tanto no asfalto como fora de estrada.

Além de barra estabilizadora redesenhada e elementos de coxinização refinados, ela teve as longarinas do chassi reforçadas e adota dois ajustes diferentes de molas, amortecedores e buchas, de acordo com o peso de cada versão da picape. Assim, em vez de calibrar o sistema pela média, foi possível otimizar o seu desempenho para aproveitar os extremos de cada faixa.

“Além de melhorar as oscilações de baixa frequência – o que é notado, por exemplo, no comportamento mais macio e suave em lombadas – essas mudanças melhoram também o comportamento em frequências secundárias, aumentando o conforto na transposição de obstáculos fora de estrada”, explica Gilmar de Paula, engenheiro-chefe da Plataforma Ranger na América do Sul.

Segundo ele, a engenharia aproveitou a oportunidade para fazer várias pequenas modificações na Ranger. “O controle do piloto automático adaptativo, por exemplo, teve a posição mudada para o meio do para-choque e o defletor dianteiro pôde ser eliminado com a melhora do comportamento aerodinâmico”, diz.


Motores fortes e confiáveis
A Ranger conta com duas opções de motores turbodiesel, 3.2 e 2.2 da família Duratorq, conhecidos pela confiabilidade e desempenho. O motor 3.2, que equipa as versões de topo da linha, se destaca pela eficiência e alto nível de conforto. Com cinco cilindros, gera potência de 200 cv (@ 3.000 rpm) e torque de 470 Nm na faixa de 1.750 a 2.500 rpm, com força e elasticidade tanto para rodar na estrada como para superar obstáculos todo-terreno.

Com ele, a picape acelera de 0 a 100 km/h em 11,6 segundos e atinge velocidade máxima de 180 km/h. A versão XLT 3.2 4x4 faz 8,4 km/l na cidade e 9,4 km/l na estrada. A Limited 3.2 4x4 roda 8,6 km/l na cidade e 9,9 km/l na estrada.

O motor 2.2 Duratorq, com quatro cilindros, presente nas versões de entrada e intermediárias da Ranger, é outra excelente opção que alia eficiência e custo-benefício. Ele tem potência de 160 cv (@ 3.200 rpm) e alto torque já em baixíssimas rotações, de 385 Nm na faixa de 1.600–2.500 rpm. Com ele, a picape vai de 0 a 100 km/h em 15 segundos e chega a 164 km/h.

A versão XLS 4x2 tem um consumo de 9,6 km/l na cidade e 11,3 km/l na estrada. A versão XLS 4x4 manual tem um consumo de 10,3 km/l na cidade e 10,4 km/l na estrada. Com transmissão automática, faz 9,0 km/l na cidade de 10,4 km/l na estrada.

“O motor 2.2 é muito bem avaliado pelos usuários e não por acaso ganhou espaço dentro da linha, sendo oferecido em novas versões da Ranger”, diz Gilmar de Paula.

A transmissão automática é a 6R80 e a transmissão manual é do modelo MT82, ambas com seis velocidades.

Líder em desempenho
A Ranger tem características exclusivas que a diferenciam das outras picapes. Entre elas, estão a capacidade de imersão, o controle de estabilidade e tração com sistema anticapotamento, o controle adaptativo de carga, o piloto automático adaptativo, o sistema de permanência em faixa, o farol alto automático e a garantia de cinco anos.

A Ranger tem a maior capacidade de imersão declarada do segmento, de 800 mm. Essa é uma das vantagens da sua engenharia inteligente, com a blindagem do sistema elétrico, tomada de ar em posição superior e o posicionamento do alternador de forma a mitigar o risco numa eventual passagem por água.

O controle eletrônico de estabilidade e tração AdvanceTrac, com um exclusivo sistema anticapotamento, monitora a velocidade das rodas, o acelerador e a direção 100 vezes por segundo para entender a situação do veículo e fazer as correções necessárias. Ele atua basicamente no motor e na frenagem para garantir a estabilidade, sem o motorista precisar executar nenhuma ação.

Outro recurso exclusivo da Ranger é o controle adaptativo de carga, que equipa de série toda a linha. “Quem dirige picapes sabe que o seu comportamento dinâmico muda bastante quando está vazia ou carregada”, explica o engenheiro. ”Esse sistema identifica o nível de carga e ajusta os seus parâmetros para garantir o controle e a segurança em qualquer condição.”

O piloto automático adaptativo permite selecionar a distância que se deseja manter do veículo à frente enquanto a Ranger acelera e freia automaticamente, tornando a direção mais tranquila. O sistema de permanência em faixa monitora as marcações da pista por meio de uma câmera, gerando alerta e fazendo correções se o veículo muda de trajetória sem o acionamento do pisca.

“Se você invade a faixa mais de cinco vezes, a Ranger entende que você está cansado e é hora de fazer uma pausa para tomar um café. Ela faz isso exibindo o ícone de uma xícara no painel”, diz De Paula.

O farol alto automático também contribui para o motorista dirigir de forma mais tranquila e segura, mantendo uma ampla iluminação da pista sem ofuscar os veículos que vêm em sentido contrário. Os cinco anos de garantia de fábrica são outra vantagem exclusiva que atesta a robustez e confiabilidade da picape.

A Ranger se diferencia, ainda, pelo nível de execução superior em itens como a direção elétrica, o controle de oscilação de reboque, o diferencial traseiro blocante, os 7 airbags, o ar-condicionado digital de dupla zona e a central multimídia SYNC 3 com navegação e comandos de voz.

“Todos os sistemas do veículo funcionam de forma integrada e inteligente. A direção elétrica, por exemplo, atua também como um sensor do controle de estabilidade e tração e do controle de oscilação de reboque. Por isso dizemos que a Ranger está três anos à frente da competição em termos de equipamentos”, afirma o engenheiro.

Os ângulos de entrada e saída de 28º também favorecem o desempenho off-road da Ranger, que tem capacidade de carga de 1.001 a 1.168 kg, dependendo da versão.
FONTE: Ford 

Postar um comentário

0 Comentários