Mammoet estabelece recorde na Nigéria ao transportar carga de 3.000 toneladas

A Mammoet, empresa mundialmente reconhecida pelo transporte e movimentação de indivisíveis, estabeleceu um novo recorde no continente africano ao concluir o transporte rodoviário de uma carga de 3.000 toneladas na Nigéria. O transporte recorde incluiu ainda a movimentação de outros componentes de até 1.700 toneladas e o emprego de um dos maiores guindastes do mundo. 

A operação de dimensões e números expressivos faz parte da construção da Refinaria de Petróleo de Dangote, que terá capacidade para processar 650.000 barris de petróleo bruto por dia. A expectativa é de que a nova estrutura tenha um impacto significativo na indústria nigeriana de petróleo e gás e na economia global do país, reduzindo sua dependência das importações de produtos petrolíferos e trazendo grandes oportunidades de emprego. 

Para garantir o sucesso de toda a operação de transporte que aconteceu em um trecho de apenas 10 quilômetros, foi necessário a realização de um serviço de reforço e pavimentação do solo, afim de garantir a estabilidade necessária para a movimentação das linhas de eixos e evitar possíveis desnivelamentos. 

De acordo com a Mammoet, para o transporte do Regenerador de 3.000 toneladas e que mede 56 metros de comprimento, 23 metros de largura e 25 metros de altura, foi necessário o emprego de 108 linhas de eixo em configuração de 3 x 36 linhas. Já o reator de 1673 toneladas, medindo 44 metros de comprimento, 16 metros de largura e 17 metros de altura, foi transportado usando 78 linhas de eixo em configuração de 3 x 26 linhas.

Já a operação de içamento e montagem dos componentes, iniciada no fim do mês de março conta com o apoio guindastes móveis e de esteira, com capacidade de 250t a 1250t. Além disso, a Mammoet também está empregado dois dos maiores guindastes do mundo, o PTC 200 DS e o PT 50, ambos com capacidade de içamento de até 5.000 toneladas. 

A conclusão da obra e início das atividades de refino de petróleo estão previstas para este mês de abril. 
TEXTO: Lucas Duarte
Caminhões e Carretas 

Postar um comentário

0 Comentários