Excesso de carga: 15 mil de carretas e caminhões são fiscalizados na BR-163

Divulgação/Rota Oeste
Mais de 15 mil veículos de carga foram fiscalizados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), em uma ação no Posto de Pesagem Veicular, localizado no km 108 da BR-163, em Rondonópolis. A iniciativa é realizada em parceria com a Concessionária Rota do Oeste desde 9 de março para averiguar o excesso de carga transportado em carretas e caminhões.
De acordo com o coordenador de Fiscalização da ANTT – Unidade Regional Centro Norte, Felipe Freitas, a atividade tem como objetivo primordial oferecer uma rodovia mais segura para todos os motoristas e passageiros. “É uma operação muito importante para ANTT e para todos que precisam viajar. Sabemos que alguns motoristas se valem da ausência de balanças para transportar carga em excesso e isso é muito perigoso, coloca em risco a segurança de quem tem essa conduta e de terceiros que estão na rodovia”.
Até 9 de abril, dos 15.724 veículos abordados, pouco mais de 5 mil (equivalente a 32%) foram encaminhados para uma vistoria mais detalhada por apresentarem algum indício de irregularidade. Destes, 10%, cerca de 500 foram autuados pela ANTT por efetivamente trafegarem em desacordo com a legislação.
Na avaliação do gerente de Operações da Rota do Oeste, Wilson Ferreira, o número veículos trafegando com excesso de peso ou com carga mal acomodada por eixo é preocupante, uma vez que esses tipos de condutas comprometem a estabilidade do veículo e o sistema de frenagem, refletindo diretamente na segurança viária.
“Aumentam as chances de um acidente. A carga mal acomodada, por exemplo, pode resultar em um tombamento. O excesso de peso transportado pode comprometer o tempo de resposta do sistema de freios e ocasionar uma colisão. Esses são pequenos exemplos que podem ser evitados se a legislação for cumprida”, explica.
Freitas complementa que cada veículo é fabricado para transportar determinada carga com segurança. Ao exceder o peso estabelecido, de acordo com as especificações técnicas do fabricante, a segurança é comprometida.
Além da segurança, que é o principal objetivo da fiscalização, há ainda o comprometimento do pavimento. As irregularidades provenientes das cargas resultam em dano e desgaste do pavimento de forma precoce. “A amostragem da fiscalização é alta e demonstrou que cerca de 2% dos veículos de carga fazem o transporte em desconformidade. Se considerarmos o fluxo da rodovia, o percentual se mostra bem preocupante”, avalia o gerente. 

Como é feita a pesagem 
O trabalho de fiscalização é feito por meio das duas balanças existentes no Posto de Pesagem construído pela Rota do Oeste. Os equipamentos são aferidos e aprovados pelo Inmetro e ANTT. Durante a abordagem, os veículos são encaminhados para a primeira balança, a ‘seletiva’, onde a fiscalização é dinâmica e não há necessidade de parada pelo motorista. Por meio de sensores localizados às margens da pista, a quantidade de carga transportada é pesada, conforme o modelo do veículo e sua capacidade.
Quando é identificada a possibilidade de sobrepeso, a balança faz a sinalização e os agentes da ANTT orientam o condutor a seguir para a balança de precisão, que efetua a medição do peso exato do veículo.
FONTE: Divulgação 

Postar um comentário

0 Comentários