Operação na BR-163 vai garantir que safra chegue ao seu destino, diz ministro

Com a presença de quatro ministros, o governo federal lançou nesta quarta-feira, 30, uma nova “Operação Radar” para garantir o escoamento da safra de grãos 2018/19 por meio da BR-163, que liga o Centro-Oeste aos portos da região Norte, no principal corredor de transporte de soja no País. O foco da ação integrada novamente será garantir a trafegabilidade durante o período de chuvas em um trecho não pavimentado da rodovia no Estado do Pará.
O anúncio conjunto foi feito pelos ministros Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura), Tereza Cristina (Agricultura), Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) e Fernando Azevedo e Silva (Defesa). Também participaram do anúncio o diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Adriano Furtado, e o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), General Santos Filho.
A operação – que já foi realizada na safra passada 2017/18 – inclui agentes de trânsito, funcionários do DNIT, o efetivo do Exército e agentes da PRF, que realizarão a inspeção diária da rodovia, com ações preventivas ou emergenciais na pista.
“Já há um movimento relevante de caminhões na BR-163. Queremos evitar atoleiros e problemas, dando a certeza para os produtores que a safra vai chegar ao seu destino. Essa conjugação de forças é uma marca desse governo”, afirmou o ministro Tarcísio Freitas.
Segundo ministro, o objetivo é impedir a formação de filas nos trechos não pavimentados, que somam 109 quilômetros dos 1.006 quilômetros da rodovia. “A meta de 2019 é deixar o trecho até Miritituba (PA) pavimentado até o fim do ano”, prometeu.
De acordo com o ministro Azevedo e Silva, o Exército participará da operação por meio da Diretoria de Obras de Cooperação. O diretor, General Paulo Roberto Viana, detalhou que a movimentação de caminhões na BR-163 totalizou 12.610 veículos até o dia 25 de janeiro.
“O fluxo é crescente e já chegamos a 1.000 veículos por dia, devendo atingir 1.500 caminhões diários no auge do escoamento da safra”, projetou. “Também damos o apoio de rádio, fornecimento de água e alimentos, além de ambulâncias e reboques nos locais”, completou Viana.
A ministra Teresa Cristina ressaltou que Mato Grosso é o principal produtor de soja do País e que a estimativa da pasta é de uma nova “safra cheia” neste ano, apesar dos problemas climáticos em algumas regiões. Segundo ela só o Estado de Mato Grosso deve produzir 63,4 milhões de toneladas de soja, que serão escoadas pelos portos do chamado “Arco Norte” do País, no Pará.
“Esperamos que a precariedade da BR-163 seja solucionada ainda este ano. No ano que vem provavelmente não precisaremos falar neste assunto”, disse a ministra. “E na hora que a ferrovia ‘Ferrogrão’ estiver pronta não teremos mais esse tipo de problema”, completou.
Já o ministro Sergio Moro destacou o trabalho da Polícia Rodoviária Federal, que está mobilizada para dar segurança ao escoamento da safra. “O efetivo da PRF já está ajudando e também evitará que ocorram incidentes decorrentes de algum ilícito. Pelo menos 60 homens atuarão diretamente na orientação do trânsito no local”, relatou.

Postar um comentário

0 Comentários