Nicolas Industrie encerra a produção do gigante Tractomas e anuncia falência

Através de um comunicado recente enviado a imprensa, a Nicolas Industrie SAS, empresa francesa mundialmente conhecida pelo desenvolvimento de soluções para o transporte de cargas superdimensionadas, anunciou o encerramento das atividades no próximo ano. 
Segundo a empresa, a partir de 28 de fevereiro de 2019, a empresa fechará as portas da planta industrial localizada na cidade francesa de Champs-sur-Yonne. Com a decisão 73 funcionários serão demitidos, outros 37 serão mantidos na prestação de serviços de pós-venda, para atender os clientes que ainda possuem caminhões e/ou implementos fabricados pela própria Nicolas Industrie. 
De acordo com a imprensa europeia especializada em transporte, a francesa Nicolas Industrie SAS vinha enfrentando dificuldades financeiras nos últimos quatro anos. Situação que foi agravada por uma crise econômica, forte concorrência no segmento de veículos especiais e altos custos de produção e desenvolvimento. 
Com a recente decisão, a empresa francesa com mais de 160 anos de história (fundada em 1855), deixará de produzir um dos maiores e mais conhecidos caminhões rodoviários do mundo, o Nicolas Tractomas. Com versões 8x8 e 10x10, motor Caterpillar de 1000 cavalos de potência, torque de 4000 Nm e opções de transmissão automatizada Allison de seis ou duas velocidades, o Tractomas foi desenvolvido para atender operações no segmento de mineração e de transporte de cargas indivisíveis. 
O gigante francês não se destaca apenas pela tara de 40 toneladas, mas também pela capacidade de tracionar cargas de até 700 toneladas. Até então, o modelo já havia sido entregue a clientes da Austrália, África do Sul e América Latina. 
Segundo o grupo alemão TII, atualmente proprietário da Nicolas Industrie SAS, revelou que não há dúvidas sobre a falência, mas que todas as operações serão reorganizadas afim de garantir novas oportunidades de emprego para o funcionários em outras empresas do grupo. 
TEXTO: Lucas Duarte
Caminhões e Carretas 

Postar um comentário

0 Comentários