Facchini

IVECO

Reforma de pneus: solução estratégica

Não é novidade que, quando falamos de despesas fixas no segmento de transporte rodoviário, estamos falando, dentre vários elementos, de pneus. Hoje, as empresas do setor realizam todos os anos altos investimentos nesse item. No que se refere aos pneus novos, encontramos um grau de conhecimento satisfatório em meio aos frotistas brasileiros. Basicamente, todos sabem o que fazer com um produto zero quilômetro, pronto para rodar. No entanto, quando o assunto são os pneus reformados ou recapados, as dúvidas são praticamente unânimes.
Hoje, o preço da reforma de um pneu é, em média, 60% menor do que o de um pneu novo. Outro aspecto positivo é que a sua durabilidade é similar a primeira vida do novo. Por isso, o pneu reformado é tido pelos frotistas como uma escolha econômica, uma vez que o custo por quilômetro é normalmente mais vantajoso. Além disso, a reforma, desde que feita com qualidade, deve ser vista como estratégia de negócio, devido ao excelente resultado econômico, técnico e ambiental.
Outra questão importante é que a reforma não pode ser confundida com pseudo-processos de recuperação de pneus. Na verdade, a reforma ou recapagem é um procedimento que, quando executado por profissionais capacitados, tem especificações e exigências tão criteriosas quanto os da fabricação de um produto novo. Assim, a escolha de quem fará a reforma é primordial, afinal, trata-se de um processo minucioso, que demanda alta tecnologia e treinamento dos profissionais.
Antes de procurar uma recapadora, o frotista deve se preocupar com a preservação da estrutura dos pneus (popularmente chamada de carcaça), para que assim eles tenham condições mínimas para a reforma. Isso significa alinhar, balancear, calibrar, emparelhar e realizar adequadamente o rodízio dos pneus. Um pneu que foi utilizado inadequadamente ao longo de sua primeira vida tem o seu índice de recapabilidade consideravelmente reduzido. Isso significa prejuízo ao transportador no longo prazo.
Nos centros Bandag, a reforma do pneu é composta por uma série de etapas. Primeiramente, o pneu é limpo para se eliminar poeira, óleos e outros elementos que prejudicam o processo. Depois, é feita uma inspeção para identificar a necessidade de reparos e danos acima do limite que impossibilitem a recuperação do pneu. Posteriormente, são realizadas a raspagem da borracha existente e uma análise da carcaça por ultrassom, que identifica falhas estruturais não visíveis ao olho humano. Após isso, acontecem as etapas de consertos, aplicação da nova banda, vulcanização e inspeção final, que assegura o devido cumprimento das etapas anteriores.
Por conta de toda a tecnologia embarcada nos equipamentos e da qualificação da mão de obra envolvida, o desempenho quilométrico atual dos pneus reformados pela Bandag se equivale à perfomance de um pneu novo. Em alguns casos, esse desempenho chega a ser superior. Com isso, o transportador consegue equilibrar os gastos com a frota de modo prático, eficiente e sustentável, afinal, recapar é reciclar.
NOTÍCIA ANTERIOR PRÓXIMA NOTÍCIA