Colisão Traseira: saiba como evitar uma das ocorrências mais comuns na estrada

A imprevisibilidade na rodovia pode gerar acidentes envolvendo todo tipo de veículo. Uma das ocorrências mais comuns é a colisão traseira, que acontece pelo desrespeito ao limite de velocidade,  distância segura entre os veículos, distração entre outros. Para evitar este tipo de acidente a recomendação é acionar o freio assim que avistar qualquer eventualidade. No entanto, o condutor deve frear aos poucos para evitar derrapagens ou uma parada brusca.
Dirigir com prudência é respeitar as sinalizações e os limites de velocidade, além de estar preparado para as condições adversas que o trajeto pode proporcionar, o que inclui condições do tempo, da estrada e até mesmo do veículo. Para a CART – Concessionária Auto Raposo Tavares- a segurança viária é o resultado de um conjunto de ações relacionadas ao motorista e à rodovia.
O comportamento do motorista também é decisivo para a proteção coletiva. Alguns motoristas que seguem “colados” ao veículo da frente potencializam o risco de uma colisão. Para se afastar de quem segue a uma distância curta, o condutor pode reduzir a velocidade ou deslocar-se para outra faixa de trânsito, ultrapassando com segurança.
O condutor não deve ficar indeciso em relação ao percurso, especialmente com entradas e saídas que deverá acessar. O ideal é planejar o trajeto antes de sair para não confundir o veículo que vem atrás. Também deve ser feita a sinalização correta com as setas para a mudança de percurso no tempo adequado para que os outros motoristas possam planejar suas atitudes no trânsito. Principalmente em veículos maiores como os caminhões, esse tempo de resposta para a ação do motorista é mais lento.
O momento de entrada e saída de um veículo para a rodovia ou para as vias marginais merece atenção dos motoristas e motociclistas, especialmente os que transitam em trechos urbanos. O respeito ao limite de velocidade indicado pelas faixas de aceleração e desaceleração garante as entradas e saídas com segurança, em harmonia entre fluxo urbano e o da rodovia.
O trecho urbano da SP-270 é uma das principais vias de acesso a bairros e as principais avenidas de Presidente Prudente, por isso o fluxo de veículos entrando e saindo da rodovia a todo o momento é bastante intenso, principalmente em horários de pico. A média diária chega a 22 mil veículos apenas nesse trecho.
As faixas de aceleração e desaceleração implantadas são indicadas por uma pintura zebrada na cor branca no solo dos acostamentos e ficam próximas às saídas e entradas da rodovia. A principal função é permitir ao motorista espaço suficiente para acelerar ou diminuir a velocidade do veículo, sempre com segurança.
Para acessar a rodovia, a faixa de aceleração possibilita espaço suficiente para que o veículo que está entrando na via aumente a velocidade gradativamente tornando-a compatível com as dos demais veículos que já trafegam na pista. Isso contribui para evitar colisões traseiras e laterais entre um veículo mais lento e outro com uma velocidade maior.
Para sair da rodovia, a faixa de desaceleração está presente próximo às saídas e permitem um espaço para que o motorista possa reduzir gradativamente a velocidade aplicada na rodovia para acessar, com segurança, uma via marginal urbana de menor velocidade ou até mesmo um acesso particular. Com a utilização correta da sinalização no solo, é possível reduzir a incidência de veículos em alta velocidade em acessos próximos à rodovia.
FONTE: O Carreteiro 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário